FAQ #2: Como dirigir nos EUA e o que fazer com os “deer”?

Ladies and Gentlemen! Como tá o feriadão? Pelo trânsito que vi na TV, devo ser a única pessoa que tá curtindo o feriado + fim de semana em casa, mas ok, gosto disso… vocês na piscina/mar = eu no chuveiro! #pobre

Quero muito levar essa série de posts de perguntas e respostas a sério! Criei até um menuzinho ali do lado ————–> para deixar tudo separadinho, assim os posts não se perdem no meio dos outros! Sugestão da minha querida Paty Waetge :) Espero que ajude!

Tava pensando em algumas perguntas legais para colocar aqui, aí lembrei da época que eu escrevia para o blog do Embaixador STB… eu falava muito mais sobre dicas e viagens lá do que nesse blog aqui, que eu reservava para os desabafos e fofocas quentíssimas, como vocês já devem ter percebido. PORTANTO, como minha cabeça tá com preguiça de pensar, resolvi “resgatar” alguns dos posts com dicas e reproduzir aqui, só que mais atualizados. São textos de minha autoria mesmo, então, não é plágio! Hahauahuahua!

Eu sei que tem um MONTEEE de outras dúvidas rolando soltas, então, por favor, não fiquem ansiosas se eu não postar aqui no blog logo de cara… deixem as outras dúvidas aqui nos comentários que eu também respondo, tá? :)

Vamos lá:


Clique aqui para ler o babado completo!

Um “oi” meio perdido por aqui!

Oi, gente!

Não esqueci do blog, não esqueci de continuar com as FAQs e nem te contar os babados de julho desse ano que ficaram atrasados. Só passei por aqui pra dizer que estou numa semana difícil, mas que em breve as coisas se acalmarão e terei mais tempo e assunto pra escrever aqui :) Vou aproveitar também pra contar nos próximos posts sobre as mudanças que tão acontecendo na minha vida agora, pois sei que tem muita ex-Au Pair que passa por aqui (ou que pelo menos tá perdida no grupo que eu criei para gente no Facebook) se perguntando o que fazer da vida, como é que eu sobrevivi 1 ano depois de ter voltado pro Brasil e tudo mais… enfim, só pra dar uma satisfação mesmo e pra vocês não acharem que sumi pra sempre, pois já fiz essa pegadinha antes, né? He, he, he!

Pra fechar, deixo vocês com esse vídeo LIN-DO que não consigo parar de assistir. Postei esses dias na página do blog no Facebook, sei que vocês também já viram no Fantástico ou na timeline de 489734328947824 pessoas que o compartilharam essa semana, mas eu simplesmente não consigo parar de ver, de rir e chorar junto. Ah, e de morrer d esaudade dos meus babies, é claaaaaaaro :)

Beijos e boa semana pra todos!


O tal do POF e do OkCupid

Se você está pensando em ser Au Pair, com certeza já deve ter começado a bisbilhotar por aí e já deve ter ouvido falar dos famosos sites de relacionamento americanos onde a Aupérzada adooooora paquerar os carinhas, arrumar uns dates, alguém pra pagar uns #bonsdrinks porque o salário é triste, matar a carência ou, sei lá, arriscar um green card. Tem de tudo!

Tem menina que faz cadastro nos sites antes mesmo de chegar nos EUA pra já dar aquela aquecida na lista de contatos e ter certeza de que não ficará forever alone lá, hahahaha! GENTE, tem cada história por aí que me faz chorar de rir ou chorar de tristeza mesmo, porque esses americanos, minha gente… são fim de carreira. Sorte de quem arruma uma exceçãozinha, pois a maioria é trash e já explicarei o porquê.

Clique aqui para ler o babado completo!

FAQ #1: O primeiro FAQ de uma pergunta só.

Rélôu, pipou!

Não tive aula na faculdade hoje e, adivinhem só… tive algumas horas livres no dia para poder me dedicar ao blog, considerando que boa parte dos meus trabalhos a serem entregues estão em dia! Parece um sonho :)

Decidi criar uma série de posts com perguntas frequentes que recebo sobre o mundo Au Pair para aliviar um pouco o desespero de quem está cheio de dúvidas e, também, minha caixa de e-mail que está bombando, hahahaha!


(more…)

Me ajudem a postar no blog!

Bom diiiiia, meninos e meninas! :)

Não vou começar mais um post dizendo que gostaria de atualizar mais o blog e que tô pensando seriamente em voltar, pois já perdi as contas de quantas vezes ME prometi isso e não cumpri… esse é só um desejo muito grande, mas uma possibilidade rara, graças à desgraça de rotina em que me encontro desde janeiro, como ACHO que já contei pra vocês por aqui. Se não contei, depois dou mais detalhes!


(more…)

Timeline Auperiana

Gente, são 2 e meia da tarde de uma sexta e tô aqui, toda trabalhada no pijamão, curtindo o feriado prolongado, cheia de coisas da faculdade pra terminar, mas prefiro enrolar e fazer um pouco por dia, aproveitando que não é sempre que temos um 4-day weekend, né? Ou, como os britânicos falam (aprendi ontem com o gato), BANK HOLIDAY. Anotem aí… vocês começarão a ter aulas de inglês britânico em breve, hahahaha!

Tô inspirada em voltar a escrever assiduamente nesse blog, mas sei que essa empolgação diminuirá quando a segunda-feira chegar junto com a vida real.

Enfim… neste ócio em que me encontro, tive a ideia de fazer um post pra sanar as zilhares de dúvidas semelhantes que recebo por e-mail, Facebook, comentários etc! É o seguinte: Decidi montar pra vocês uma linha do tempo da minha vida como Au Pair! Sei que parece meio boring falando assim, mas acho que vai ser legal, pois recebo MUITOS, mas MUITOS e-mails de meninas perguntando quando tempo demorei pra falar com uma família, que mês é melhor tirar férias, em quanto tempo fiquei com o application online, fora as dúvidas sobre a minha vida pessoal e as fofocas, que são maioria hahahahaha! Suas espertinhas!!!

(more…)

Queridas atuais, ex e futuras Au Pairs…

Olá, minhas bonitas!

Já não posto mais nesse blog como antes por motivos óbvios: não sou mais Au Pair, não tenho coisas novas para compartilhar e nem tenho uma vida tão empolgante para falar sobre :( Me tornei chata, comum e com o tempo cairei no esquecimento… hahahahaha! Mentira, até que minha vida é legal, só que é “padrão”, sabe? Acordar cedo, trabalhar, estudar, dormir, ficar com tédio… aí tem uns bafões corriqueiros e tal. Só que nada como ser Isaura, digo, Au Pair, porque por mais que a vida auperiana seja sofrida (digo isso de todo o meu coração), sempre tem algo diferente acontecendo, pois você entra nessa vida sabendo que é temporária e vive intensamente, tanto as coisas boas quanto as ruins! Tô mentindo?


(more…)

Novidades úteis e inúteis!

Oi, meninas!

Sei que estou super em dívida com esse blog e com vocês, prometi que iria tentar não abandonar, mas a vida dá tantas voltas que ficou difícil conciliar todas as minhas prioridades!

Eu gostaria muito de passar horas por dia postando aqui no blog sobre minha turbulenta vida auperiana e continuar dando dicas para quem tá no processo (embora eu continue fazendo isso por e-mail, Facebook, Twitter etc quando sobra um tempinho), que é uma coisa que amo fazer, mas preciso trabalhar, estudar e pagar as contas, né? Acabou a mamata! :P

Vou contar pra vocês um pouquinho do que anda acontecendo…

(more…)

A vida da Kainara e um pouco da minha

Oi, gente!

Tô vendo que o blog começou a ficar agitado novamente :) Fiquei feliz com a participação massiva nos comentários e de confirmar que vocês não me abandonaram mesmo! Muito obrigada! Ainda não me sinto uma Au Pair aposentada, pois graças a esse blog e às amizades que fiz por aqui, ainda estou totalmente em contato com esse mundo! Ah, e adorei as sugestões de posts! Tô considerando tudo que recebo e já comecei a organizar alguns textos que vão dar uma ajudinha procêis, belezura?

(more…)

Minha breve experiência trabalhando com intercâmbio

E aí, gente bonita! Tudo bem?

Tô me esforçando HORRORES para manter esse blog atualizado, continuar tirando as dúvidas de vocês e contando os bafões (des)necessários dessa minha vida sem noção.

Confesso que é bem difícil continuar arranjando assunto relacionando ao tema do blog, já que minha vida mudou bastante desde que voltei dos EUA. Peço desculpas desde já, caso eu não esteja superando as expectativas dos meus queridos leitores. É o que tem pra hoje, minha gente!

Fico aqui tentando lembrar uns causos engraçados ou momentos que valem a pena compartilhar aqui no blog, mas no momento minha memória tá falhando, portanto contarei um pouco do que anda acontecendo na minha vida pós-Au Pair, pois minha memória recente ainda está funfando.

Num dos primeiros posts que escrevi aqui do Brasil, contei pra vocês que havia feito uma entrevista de emprego e que tinha um pouco a ver com a vida de Au Pair. Bom, as coisas mudaram bastante desde esse dia, mas acho que ainda vale a pena contar pra vocês!

Quando me dei conta que não aguentaria ficar nesse ócio esperando a faculdade recomeçar e que precisava de um emprego logo, mandei uma mensagem para a Karina, que foi minha querida orientadora no STB quando iniciei meu processo para ser Au Pair, perguntando como era trabalhar numa agência de intercâmbio e que eu estava pensando em fazer algo do tipo por enquanto, justamente por eu já ter participado de um, estar com o inglês bom e também já ter participado do blog do EmbaixadorSTB, que foi uma das experiências mais legais que conciliei com minha vida de Au Pair.

Atualmente, a Karina está trabalhando na Experimento de Campinas, que é concorrente do STB, e disse que havia uma vaga para consultora e que tinha tudo a ver comigo. Mesmo antes de eu responder, ela já me indicou para a gerente da loja que fica dentro da minha faculdade (PUC Campinas, Campus I) e praticamente ao lado da minha casa, enviei meu currículo e no dia seguinte já estava lá sendo entrevistada e, felizmente, contratada!

O único problema é que eu tinha aquela viagem pro Reino Unido marcada, portanto só pude começar no dia 1° de outubro. Nas semanas anteriores ao meu início na Experimento, estudei TODAS as apostilas sobre TODOS os intercâmbios e escolas que a Experimento trabalha. Depois que entrei lá, fiz um treinamento para conhecer mais sobre a agência e sobre os produtos com que ela trabalha e gostei muito.

As duas agências são excelentes. Nunca tive nenhum problema com o STB e valorizei muito minha orientação pré-embarque dada pela Karina. Acredito que tudo deu muito certo por causa do excelente suporte que recebi, além da oportunidade de participar do blog dos Embaixadores contando minha experiência do começo ao fim (ainda tem posts indo pro ar, dêem uma olhada).

Portanto, acho que se hoje alguém me perguntasse qual a melhor agência para fazer AU PAIR, eu indicaria a Experimento pelo simples fato de ela trabalhar com a melhor agência americana de Au Pairs dos Estados Unidos, a Au Pair in America.

Não, eu não fui pela APIA, mas pela Au Pair Care, mas há uma diferença gigante entre as duas: a diferença é que na Au Pair Care, as LCCs/Area Directors são voluntárias, ou seja, não ganham ou ganham muito pouco para trabalharem e, por isso, uma grande parte acaba trabalhando quando querem e fazendo o trabalho meio de qualquer jeito.

Eu gostaria muito de ter tido um melhor suporte da minha LCC quando precisei. Gostaria que ela fosse melhor treinada e se esforçasse mais para organizar meetings mais interessantes, para conversar com as host families ou, simplesmente, gostaria que atendesse o telefone quando houvesse uma emergência. Minha host teve muitos problemas com minha LCC e eu decidi que nunca contaria com ela para resolver meus problemas, já que a fama já não era das melhores.

Da mesma forma, já vi muitas LCCs mil vezes piores e mil vezes melhores que a minha dentro da APC. É uma questão de sorte.

A diferença da APIA é que as LCCs levam o negócio mais a sério, pois ganham bem para fazer o que fazem. Elas dão suporte 24h (ou quase) e são melhor treinadas. Até por isso que o programa pela Experimento/APIA custa mais caro: você acaba pagando a taxa da agência americana, que paga o salário das LCCs, mas tem mais garantia de suporte e segurança.

Se eu soubesse de todas as dificuldades que uma Au Pair pode ter e da quantidade de famílias loucas que podemos encontrar, não hesitaria em pagar mais para ter um maior suporte. Sei lá, é só a minha opinião, já que tanta gente me pergunta qual é a melhor agência para fazer Au Pair. Eu não sou uma guru do mundo auperiano, mas com as informações que adquiri até hoje, acho que indicaria a Experimento, mas não desqualifico o STB de forma alguma! Porém, a Cultural Care eu já tiro da lista pelo simples fato de ter um processo de match MUITO lento, pois as famílias podem “prender” seu perfil, te deixando indisponível para outras famílias, mesmo que nunca entre em contato com você ou não te despertem qualquer interesse. Sei que esse parágrafo ficou confuso, mas um dia explico com mais calma.

POR FAVOR, se tem alguém aqui da APIA, da Au Pair Care ou da Cultural Care que tiveram experiências diferentes das que eu acabei de citar acima, deixe um comentário aqui no post que faço questão de apresentar diferentes pontos de vista, afinal, aqui eu só escrevo me baseando nas minhas próprias experiências!

Por incrível e mais triste que pareça, eu só trabalhei na Experimento durante 3 dias!!! Como a maioria de vocês sabem, eu sou estudante de publicidade e propaganda, já trabalhei alguns anos com mídias sociais e o “meu negócio” é internet, redes sociais e BLOGS! Felizmente, uma pessoa de uma agência digital de Campinas entrou em contato comigo e me ofereceu um trabalho muito interessante na minha área para trabalhar com coisas que eu realmente amo fazer! Eu não estava procurando nada e nem pensava em voltar a trabalhar em agência de publicidade tão cedo, mas a oportunidade bateu na porta e foi impossível recusar!

Acho que deixei o pessoal da Experimento bem decepcionado, pois quando eu tava pegando o jeito, me apaixonando pelas zilhares de opções de intercâmbio e quando atendi minha primeira cliente, tive que falar para minha boss que eu iria sair. Foi triste, mas tenho certeza de que fiz a escolha certa :) E nesses 3 dias de trabalho lá, conheci 3 meninas muito queridas e excelentes profissionais. Ficava me perguntando se um dia conseguiria atender um cliente do jeito que a Júlia e a Marina fazem. Era muita informação pra armazenar na cachola e elas sabem TUDO!

Bom, começo no emprego novo amanhã, terça-feira! Me desejem sorte, pois agora é o começo de uma vida nova. Ou melhor, o recomeço de uma vida velha, pois vida nova mesmo é aquilo que eu tava vivendo nos EUA, fala sério!

Beijo pra todos e até a próxima :)

 


Como contei pra host family que eu iria embora antes da hora

Depois do gigantesco capítulo de novela que contei no post anterior, tá na hora de voltar pra realidade!

Como a maioria de vocês sabem, eu abandonei a vida de Au Pair e voltei pro Brasil um pouco antes da hora por vários motivos que listei aqui. Apesar de eu ter voltado só 1 mês e meio antes (quando completei 1 ano e 4 meses), não foi nada fácil falar pra minha host mom! Foi mais um desafio gigante que tive que passar na minha vida auperiana super hardcore. Fiquei com dor de barriga do dia em que decidi que iria embora até o dia em que conversamos de verdade, cara-a-cara.

Eu decidi que não falaria nada sobre eu trabalhar demais, sobre o carro e sobre minha carta de motorista. O carro e a carta, na verdade, nem eram motivos tão relevantes, mas me levaram a repensar se valia a pena ficar lá correndo riscos e completamente dependente de caronas, considerando que eu morava no meio do nada.

E sobre trabalhar demais, eu já havia conversado com eles outras vezes, que não levaram em consideração nada do que eu falei e até chegaram a dizer que eu reclamava de barriga cheia. Como já comentei, tudo que eu fiz e aguentei foi exclusivamente por causa das crianças.

Meus hosts não eram nenhum bicho de sete cabeças. Eu adoro eles. Verdade, adoro! Minha host é uma boa pessoa, nunca me tratou mal, tínhamos nossos momentos BFFs e sei que ela gostava muito de mim também. Ainda trocamos SMSs, emails, nos adicionamos no Facebook e quero que seja sempre assim… uma relação boa! Meu host era meu bróder quando cheguei, mas depois nossa relação esfriou muito e aí não sei o que virou. Acho que ele pegou raiva de mim quando os chamei pra conversar dizendo que eu não estava mais tão feliz, que estava cansada da carga horária e que precisava cuidar da minha vida, pois ficava 9 horas por dia sem contato com o mundo: sem celular, sem internet, sem TV. Tava ficando doida… Ele discordou muito, disse que se eu quisesse ter uma “vida social agitada”, essa família não era pra mim, pois minha prioridade devia ser as crianças 24h e 7 dias por semana. WTF, né.

Enfim, eles são ótimas pessoas e tenho saudades. Apesar de tudo, nunca tivemos brigas, conflitos grandes e todos sempre foram extremamente abertos para conversar. Eu acabava guardando as coisas pra mim por me sentir intimidada. É uma sensação esquisita que eu nunca havia sentido antes! O problema é que eles são americanos daqueles bem típicos e que por mais que tivessem a função de fazer eu me sentir como parte da família, nada mudava a realidade de eu ser a empregada da casa. E é assim que eu sempre me senti, independente de qualquer coisa.

Depois de horas de conversas com meu pais ao telefone e com as minhas amigas que já não aguentavam mais me ver desanimada, resolvi que iria embora. A pessoa da minha família que ficou doente foi a minha avó e tava sendo difícil aceitar isso, ainda mais estando longe. Minha avó doente é uma coisa que eu não conseguia colocar na cabeça, pois é a pessoa mais alto astral que já conheci na vida. Sempre tomando uma cervejinha, dando risada alto, batendo um papo… e de repente tá no hospital? Sei lá, foi um choque, mesmo que todo mundo tivesse se esforçado pra esconder de mim o que tava rolando no Brasil, eu sabia que tinha muita coisa fora do lugar e só pensava em voltar.

Enfim, minha host sabia que minha avó já não estava bem há algum tempo. Eu evitava tocar no assunto, pois é algo bem pessoal… mas todas as vezes em que falei sobre isso, ela nunca disse nenhuma palavra de apoio, nenhum “sinto muito” ou qualquer outra coisa que qualquer amigo falaria, sabe? Ela simplesmente pegava o celular, ligava pra uma amiga pra fofocar e me deixava falando sozinha. Era meio tenso… ainda mais que qualquer coisinha que acontecia com ela, desde uma unha quebrada até um amigo com câncer no cérebro, eu estava ali pra ouvir, pra consolar e até abraçar. A única vez em que precisei, ela ficou muito distante e me decepcionei muito.

No feriado de 4 de julho, uma quarta-feira, minhas amigas foram encontrar comigo na casa de praia da minha família, pois eu estava sem carro e não consegui ir pra lugar algum. Fomos passear, assistimos os fogos na praia, tomamos sorvete e filosofamos um monte. Foi também quando conversei mais com meus pais ao telefone sobre toda a situação e decidi que quando chegasse em casa, chamaria minha host pra conversar.

Entrei em casa umas 10 da noite super abatida, pois eu sabia que aquela seria uma conversa tensa e eu não estava feliz com o rumo em que as coisas tinham tomado… e pensar na minha avó e em deixar as crianças também me dava um soco no estômago bem dolorido, viu.

Os adultos estavam na sala conversando e eu chamei minha fofa dizendo que precisava conversar com ela a sós. Quando abri a boca, já comecei a chorar. Disse que estava sendo difícil conciliar essa vida com tudo o que estava acontecendo no Brasil e que eu queria muito estar mais perto dos meus avós e dos meus pais. Falei que coloquei na balança tudo que eu poderia ganhar ficando até o final ou indo embora, aí decidi ir embora. Contei do que estava acontecendo com a minha avó e como estava sendo difícil pra mim… acho que até exagerei um pouco, pois foi o único argumento que usei, mas depois que conheci a realidade vi que eu falei pouco demais sobre isso. Só falei pouco porque eu não sabia da metade do que estava acontecendo.

Ela ficou parada sem dizer nada, não falou nenhuma frase amigável, parecia uma pedra… acho que ficou em choque, sei lá. Como viveria sem mim no meio daquele caos? Sério, eu sei criar 4 filhos, ela não. Fato! Aí só abriu a boca pra questionar quando eu tava pensando em ir embora.

Aí eu disse que ficaria mais um mês para dar tempo de achar uma pessoa nova, pois não queria abandoná-los no dia seguinte e também porque minha irmã estava indo pra lá no final do mês, viagem planejada há meses e super esperada pela gente… e não queria perder isso.

Ela só falou “ok, vou ver o que eu faço”, voltou pra sala, eu fui dormir e depois ficou uns 3 dias sem falar comigo. Consequentemente, meu fofo também nem olhou na minha cara e NEM O AVÔ, que já tava meio esquisitão desde o acontecido com o carro.

Na semana seguinte, quando eu fiquei off e tava subindo pro meu quarto, resolvi iniciar uma conversa e perguntei se ela estava ok, pois eu senti que nossa relação estava bem esquisita. Aí foi… rolaram umas 3h de conversa e muita lavação de roupa suja.

Ela disse que tava muito decepcionada e que não acreditava em mim. Se minha avó tava tão mal, por que minha irmã estava indo pros EUA passear? E por que eu não peguei o avião no dia seguinte, em vez de esperar 1 mês?

Aí eu comecei a explicar que era uma viagem com tudo pago e que era o sonho da minha irmã… que se minha avó imaginasse que  gente cancelou uma viagem por causa dela, isso seria a morte, seria a pior coisa pra ferir o orgulho dela. E sim, ela tava mal, mas não havia nada que eu pudesse fazer… e que se decidi ficar 1 mês a mais, foi porque eu não estava pronta pra ir embora. Não é uma decisão que se faz em 24h! E minhas amigas? Minhas malas? A viagam pra cancelar? Dinheiro a perder? MINHAS CRIANÇAS? E a rotina da casa? Pô, ainda me preocupei em não deixar ela sozinha e tudo que fez foi dizer que eu tava mentindo…

Aí acabei soltando que depois que fiquei sem carro, as coisas começaram a ficar mais difíceis e que minhas amigas em 1 mês iriam embora e eu acabaria ficando sozinha: sem minhas amigas, que eram tudo que eu tinha nas horas mais difíceis e nas mais alegres e, pra piorar, sem carona pra sair. Ficaria completamente presa em casa e que eu não queria passar meus últimos meses assim… falei mesmo. E disse também que a carga horária de trabalho estava sendo demais e que já não valia mais a pena pra mim passar por isso, sendo que no Brasil tinha tanta gente precisando de mim e eu queria mesmo é ficar perto das pessoas que eu amo.

Discutimos um monte. Ela inclusive jogou na minha cara o negócio do carro e disse que eu nunca pedi desculpas pelo ocorrido, o que é uma mentira enorme. Além do mais, acho que eles é que deveriam pedir desculpas por me dar um carro tão velho e com tanto risco de quebrar. A merda toda aconteceu no dia do meu aniversário e nunca nem ganhei um “parabéns” deles. Consideração pra quê, né?

Foi uma conversa longa, mas depois disso tudo melhorou muito. Ela finalmente entendeu meus motivos, ou pelo menos fingiu bem… ela até chorou, disse que além de tudo que tinha pra pensar, era mais alguém que ela amava indo embora e que não estava preparada pra me perder. E as crianças também não estariam… foi foda. No final da conversa, meu host chegou e começou a se meter. Foi super grosso com a gente, sem nem entender o que tava acontecendo. Ele era muito sem noção às vezes… e me chateava. Mas ok, passou.

Os dias seguintes foram um paraíso. Queria que todos tivessem sido assim! Às vezes até me batia um arrependimento e vontade de ficar, até que eu trabalhava até mais tarde e lembrava o quanto era foda passar por aquilo!!!

Minha host começou a me pedir ajuda para entrevistar umas meninas. Cheguei até a buscar uma sul-africana que estava em rematch na região e morando na casa da LCC. Busquei a menina, fomos tomar sorvete com as crianças, levei ela na casa e mostrei tudo, contei da rotina e tudo mais. Minha host, de cara, não gostou da menina porque era muito quietona, não fez nenhuma pergunta e não mostrou empolgação.

Troquei email e respondi perguntas de umas 5 meninas. Falei, inclusive, com umas brasileiras, que logo desistiram quando falei da rotina das 4 kids. Depois de 1 semana de entrevistas (comigo e com minha host), a escolhida foi uma sueca com um currículo impecável. Eu não senti nada especial pela garota, mas minha host disse que adorou a entrevista e que o inglês dela era impecável. Yay!!! Problema resolvido.

Saí de férias com minhas amigas, encontrei minha irmã e voltei pra casa. Minha irmã e uma amiga minha do Brasil, a Tuanni, ficaram 5 dias na minha casa, conheceram minhas kids e depois fomos embora juntas pro Brasil.

A despedida foi tensa (depois conto mais), mas tinha que acontecer…

Troquei alguns emails com minha host depois que cheguei no Brasil e logo no início ela não parecia muito contente com a sueca. A menina, pelo jeito, era uma sociopata, muito louca, muito nerd, muito fechada, nada carinhosa com as kids… eu era um grude, né. E minha host parece comigo nessas coisas. Ela é bem comunicativa, fala pra caramba, abraça, chora e tudo mais… imagina essa gringa que louca! Esse povo de país frio é bizarro.

Só sei que no dia em que cheguei no Reino Unido, recebi um email da fofa de uns 15 metros em caps lock contando o ocorrido com a sueca em DETALHES. A menina era mesmo muito louca. Pediu rematch depois de 10 dias na casa (vai vendo!), chamou minhas kids de autistas, que eram as piores crianças do mundo, disse que tava sentindo sua vida sendo ameaçada e intimidada pela família. OLHA, podem falar o que for dos meus hosts, mas não se atreva a falar UM A dos meus monstrinhos! Eles são ÓTIMAS crianças, muito queridos, muito educados e muito bonzinhos… é claro que eles tem uns ataques como toda criança e além do mais eles são um time de 4, mano!!! Não é pra qualquer um. Aí fiquei puta com o que a minha fofa contou… morri de dó. Ela queria que eu ligasse pra ela, acho que pra dar um apoio moral… mas lá do Reino Unido ficou difícil, então só trocamos algumas mensagens. Até me senti mal por não poder ajudar mto. Ela disse que minha kid ficou super deprê dizendo que todo mundo a abandona… tadinha!!!

Depois de uns dias, ela me mandou mensagem dizendo que não queria saber de Au Pair. Depois, disse que voltou a pensar no assunto e já estava entrevistando umas meninas. A que ela mais gostou foi uma brasileira e me pediu pra responder os emails e entrar em contato com ela. Até onde eu sei, a brasileira fechou com a minha família! Eu fiquei super nervosa quando recebi o email da menina, pois queria muito ajudar minha host a encontrar alguém legal pra cuidar das minhas kids, mas não queria mentir pra ninguém e dizer que aquela casa é um paraíso!

Acabei enviando mais de 1 email super sincero pra ela, contando exatamente como era minha rotina. Falei das coisas boas e ruins, falei que o carro quebrou, falei que eu trabalhava bastante e que morava meio longe de tudo, mas que amava as crianças e fiz muitas coisas legais com a família… falei que adorava minha fofa, mas minha relação com meu fofo ficou difícil depois de um tempo. Ela foi uma gracinha e disse que estava preparada pro desafio! Bom, se eu aguentei, acho que não é impossível… só espero que ela não desista no meio do caminho e deixe todo mundo na mão como fez a louca da sueca! Pelo menos eu avisei, né?!

E também fiquei meio assim de ir uma brasileira pra minha casa por causa do blog. Sei lá, já contei muita coisa aqui e minha fofa não sabe desse blog e espero que nunca saiba. Ela sabe do EmbaixadorSTB e de vez em quando entrava pra dar uma olhada na época em que eu escrevia, então sei lá… vai que a menina comenta que leu alguma coisa e a bonitona vem fuçar, né? Agora que já não moro mais lá, ok, melhor… mas não quero que seja o motivo de estragar a relação legal que a gente tem.

Enfim, escrevi esse post pra matar a curiosidade de muita gente que queria saber como falei pra minha família que eu viria embora antes da hora. A reação deles foi horrível e durante muito tempo tive certeza que eles achavam que eu tava mentindo, o que tornava nossa convivência um pouco forçada, mas depois tudo se ajeitou e sinto muita saudade de todo mundo.

Sempre mando emails pra minha host perguntando das crianças e ela sempre pergunta da minha vó, sempre querendo saber notícias e tudo mais. Espero que nunca percamos o contato. Planejo visitar meus pequenos em breve… e torço para que a nova Au Pair seja muito boa para a família e cuide e ame minhas kids assim como e fiz!

Estou torcendo por essa brasileira agora. Trocamos emails e senti firmeza na garota. Se tudo der certo, acho que nos conheceremos pessoalmente em breve!!!

É isso, minha gente. Desculpe pelo post gigante, mas precisava atualizar essa parte da história. Daqui pra frente, acho que focarei em coisas mais alegres!

Beijos!

 


Minha viagem pro Reino Unido!

Oi, gente. Sei que prometei voltar e quando o blog tava começando a engrenar de novo, eu sumi! Mas garanto que foi por uma boa causa!

No final da semana em que escrevi o último post, fui para o Reino Unido ver meu namorado e fiquei por lá 17 dias! Esse era o “plano” que não quis comentar antes, até que estivesse tudo certo. Eu até tentei começar um post enquanto estava lá, mas acabei não terminando e agora ficou super ultrapassado!

Foi tudo perfeito! Conseguimos passar bastante tempo juntos e fazendo coisas de casais normais, tipo sair pra jantar no meio da semana; passar o domingo inteiro assistindo filme, dormindo e comendo pizza do dia anterior; passear com o sogro e a sogra; assistir X-Factor e torcer pela pessoa que provavelmente sofreu bullying na infância, mas que canta bem; assistir a um jogo de futebol importante e ficar perguntando de que lado do campo nosso time faz gol; reservar a sexta-feira pra jogar Monopoly e beber cerveja; competir seriamente num jogo de sinuca e coisas do tipo.

Como consegui ficar tanto tempo longe dele? Eu sou mais forte do que imaginava, viu. Ou essas pequenas coisas valem tanto a pena que 6 meses longe mal chegam a fazer cócegas na saudade (mentira, quase morri).

Além dos momentos “normais”, ainda passeamos um montão!!! Considerando que ele mora literalmente no MEIO DO NADA, mas no maravilhoso “British countryside”, aproveitamos bem o tempo que tivemos.

Fomos para Brecon Beacons, um parque nacional que fica no País de Gales, aquele que a Princesa Daiana reinava. Tá certo falar reinava se é uma princesa, não uma rainha? Enfim, vocês entenderam.

Fomos pra lá escalar uma montanha. Ideia de girico do meu mino, né. Ele disse que era sussa, que sempre fazem isso nos treinamentos do exército, mas acho que às vezes ele esquece que não sou um soldado, sou a mina dele que não aguenta subir 10 metros de montanha!!! Mano, eu quase morri. Sério, meu coração começou a bater muito weirdly, achei que ia ter um treco. E ele lá, me empurrando pelas costas, desistir não era uma opção! Hahahaha! Aí a chuva e o frio começaram a apertar, GRAÇAS AO BOM DEUS, e ele disse que era melhor a gente descer, pois com certeza ficaria pior… ufa. Mas eu amei muito!!! Fiquei bem pertinho das ovelhas, bichos que estão everywhere no Reino Unido, e ainda curti o maior visual. Queria que não cansasse tanto subir naquele treco, viu… deve ser lindo lá do topo. Fiquei frustrada quando descobri que não subi nem 1/15 da montanha. Que shame!

Eu na montanha! Só tô sorrindo na foto porque estávamos na descida.

Depois de Wales, fomos dirigindo para a Escócia visitar a mãe dele. Ficamos só 5 dias lá, mas eu ficaria para sempre!!! Millport, em Isle of Cumbrae, é simplesmente um dos lugares mais lindos que já fui na vida! É uma ilha bem pequena, com apenas 1000 habitantes, e é necessário pegar uma balsa para ir da cidade de Largs para Millport. O contorno da ilha tem apenas 10 milhas e conseguimos fazer o circuito todo com as bicicletas que alugamos! MARA!!! E é lá que fica a menor catedral da Europa! Vocês imaginam quantas catedrais tem na Europa? Devem ser centenas… eu visitei a menor de todas! Muito bonitinha. E nem era tão pequena assim…

Largs, onde pegamos a balsa para a ilha

Eu sentada na Crocodile Rock em Millport, Isle of Cumbrae

Nossas bikes!

Além da ilha, fomos para a cidade de Stirling, passando pela famosa Glasgow, para visitar o famoso castelo de Stirling e o monumento do Willian Wallace. Achei o máximo!!! Aprendi um monte sobre a história da Escócia e do Reino Unido em geral, além de que sempre tive vontade de visitar um castelo de verdade. Tem coisa lá construída no século XV, quando o Brasil nem sonhava em ser descoberto!!! Não é estranho pensar que quando ainda nem éramos um país, já tinha castelo de pé e guerra rolando em outros continentes??? BIZARRO.

Vista do Stirling Castle. Zuada, né?

Scottish me!!! lol!

Depois da Escócia, fomos para Liverpool visitar a avó dele, que é uma querida!!! Da última vez que nos vimos, ela estava de mudança para o lugar onde mora agora. É um condomínio exclusivo para idosos, que possui enfermeiras 24h para os que precisam de atenção especial, tem salão de beleza, biblioteca, eventos diários no salão (bingo, quiz e até karaokê), um bistrô e playground para os netos e bisnetos dos velhinhos poderem curtir enquanto visitam os avós. Além disso, tem área externa com estufas, onde os moradores podem montar sua própria horta ou cultivar flores que gostam! Achei o máximo!!! E pelo que meu namorado disse, é um lugar bem barato, nada de luxo… é uma opção econômica para os idosos viverem em segurança e conforto. Achei super legal. Quando eu ficar idosa, quero morar num lugar assim!!!

A avó dele, pelo jeito, conhece todo mundo do condomínio! Enquanto o Tom, meu namorado, aproveitava pra passar um tempo com o irmão, que quase não vê, a avó me puxou pela mão e me levou na casa de todas as amigas!!! Me apresentou pra todo mundo como “Beatrice, Tom’s Brazilian girlfriend”. Todo mundo parecia já me conhecer, me trataram suuuuuuper bem, me encheram de perguntas, me mostraram fotos dos netos, me deram “a bença” e, é claro, insistiram umas 10 vezes para que eu tomasse um chá. Coisa de britânico! Achei legal que ela, a avó, parecia lembrar de tudo que conversamos 6 meses atrás, pois fez o maior relatório de mim pras amigas! Na época, eu ainda era Au Pair e com certeza devo ter comentado das crianças e tal. Ela lembrava que eu cuidava de 4 e que morei na Pensilvânia. Impressionante para uma velhinha que já passou dois oitenta!

Foi um dia muito legal! Até fiz um freela de Au Pair, pois o sobrinho do Tom não desgrudava de mim. Ele tá tão enorme!!! Da última vez, tinha 2 anos e meio, idade que meus babies estão agora… e agora já tá com 3. Não parece, mas faz muita diferença. Ele já fala direitinho, entende tudo. Uma graça. Queria levar pra casa!!!

Depois da semana de férias na Escócia e em Liverpool, o Tom teve que voltar a trabalhar. Eu ficava sozinha na casa o dia todo e ele voltava à noite. Ficava assistindo seriados (minha conta do Nexflix funcionava com a biblioteca britânica no iPad!!! Delirei, achei milhões de coisas novas pra assistir!!!), aproveitei pra lavar umas roupas (minha primeira experiência lavando cueca de marido: checked), arrumava a casa e ficava lá curtindo a maior preguiça. Quando ele chegava à noite, fazia uma cena bem Família Dinossauro: “Querida, cheguei!”. Funny!

Aí ficávamos na sala conversando com os outros meninos que moram com ele, dois queridos. Os dois são casados e tem filhos, só ficam na casa durante a semana e de sexta à noite voltam para suas esposas, que moram a ums 3h de distância. Conheci as duas num fim de semana em que os meninos tiveram um evento do trabalho e nós ficamos em casa. Adorei, foram super queridas comigo :)

Nesses 17 dias, afirmei algo que já suspeitava: meu mino é um chef de cozinha brilhante!!! Todo dia tinha rango bão! Ele não come nada congelado, nada artificial, nada feito de qualquer jeito. Agora entendo porque ele é tão fresco com restaurante: é porque ele sabe que consegue fazer melhor. E estou aqui pra comprovar. Sei que o Reino Unido tem fama de ser mal de cozinha, mas aí depende de onde você come… tanto que muitos chefs famosos são britânicos, como o Jamie Oliver e, futuramente, meu namorado! Hahaha!

Eu fazia questão de ficar com a louça pra lavar depois de todo o trampo que ele dava pra cozinhar pra nós dois aquelas coisas super elaboradas (ok, nem eram tão elaboradas assim, mas como eu mal cozinho uma batata, acho tudo elaborado). No dia que ele teve que trabalhar até mais tarde, resolvi arriscar e fazer um bolo de brigadeiro surpresa pra gente comer de sobremesa depois da janta mara. Ele A-D-O-R-O-U, ficou todo bonitinho me agradecendo pelo bolo mó tosco que fiz, hahaha Acho que sou uma ótima namorada. Não sei fazer aqueles pratos lá, acho que mal sei cozinhar um arroz, mas chocolate sempre agrada, né?

Agora vejam só o desastre de pessoa que eu sou: um dia, a internet pifou e tivemos que ligar pro cara da companhia arrumar o treco. Ele só podia vir numa terça-feira À TARDE, enquanto todo mundo está trabalhando, menos eu. Aí fiquei com a tarefa de receber o cara da internet. Já acordei super nervosa. Morro de medo de não entender o que as pessoas falam ou elas tirarem sarro do meu sotaque, ou sei lá. Fiquei com medo de fazer burrada e acabar pifando mais ainda a internet.

EIS que 8 da matina toca o telefone e não entendo lhufas do que a pessoa do outro lado da linha fala, aí imaginei que fosse o cara da internet e disse: “Are you the guy who is coming to fix our internet?”, aí ele: “Yep and I am lost”. Aí eu: “Are you serious? I don’t know how to explain to you how to get here… you are going to see a church, a graveyard and the house is right next to it!!!” Aí ele: “Ok, I think I am here”.

Meu coração já tava quase tendo um ataque nervoso só de pensar em explicar o caminho da casa (que eu não tinha nenhuma referência além da igreja e do cemitério) pro caipira britânico com meu inglês zuado.

Aí vi a van dele na porta, abri, ele mostrou a identificação da empresa e mandei entrar. Aí ele logo sujou o carpete INTEIROOOOOOO de lama e viu minha cara de “putaquepariu”. Aí ele: “Better take my shoes off, hehehehehehe”. MANO QUANDO O NEGO TIROU O SAPATOOO NOSSAAAAAAAA quase tive um ataque de riso!!! Ele tinha uns 3 metros de altura e uns 35 anos, mas tava usando uma meia azul de estrelinha vermelha! Acho que ele pegou da gaveta da filha mais nova, que deve ser pezuda, pensando que jamais tiraria o sapato no trampo!!!

Pra não rir, pensei em crianças na África, na bomba de Hiroshima, no Ganso indo pro São Paulo e todas as coisas tristes do mundo… aí comecei a explicar o problema da internet, tentando não olhar pro pé do moçoilo.

Gente, ele tinha um sotaque MUITO do norte e eu só conseguia entender 40% da maioria das frases, o que me deixou em pânico. Quando ele começou a me perguntar umas coisas meio técnicas, falei “Why don’t you just call my boyfriend and ask him all these stuff???” Aí passei o telefone do Thomas e eles conversaram lá. O Thomas já tinha me falado que era pra ligar mesmo se ele me perguntasse qualquer coisa, então já repassei o problema.

O cara ficou quieto, foi lá no telhado da casa mexer nas fiações e me deixou em paz. Quando ele já estava há umas 2 horas perambulando por lá, do nada passa na sala e me solta tipo: “Quais são os principais produtos que o Brasil exporta?” DO NADAAA o nego puxa um papo desse, vai vendo. E eu lá curtindo meu Fifty Shades, focada no Christian Grey… não queria papo com o cara da internet. Aí sem dar a mínima pro cara, comecei a falar um monte de produto nada vê: “Milhooooo, cana-de-açúcarrrrrrrr, LEITEEEEE (WTF Beatriz???), petróleoooooo, algodãooooo…” Aí ele: “What else???” Aí eu: “Sei lááá, laranjaaaaaaa, trigooooooo…” O nego: “Tem mais uma coisa!!!” Aí eu: “Côcooo… café…”

Quando falei café, ele solta: “THAT’S WHAT I WANT!!!” Aí eu fiquei olhando pra cara dele e falei: “Quê??? Você quer café???” Aí ele: “É, quero café”. Putz… e agora???

Eu tava numa casa que não é minha, meu namorado não bebe café e nunca vi os meninos bebendo café, não vi nenhuma máquina de café e mesmo que eu achasse o café, não sei fazer café sem máquina!!! Sério, não sei fazer no filtro, rolê old school. Eu não bebo café, só bebo quando tem de graça nos lugares, HAHAHAHA!!! Aí falei pro cara: “Olha, eu não moro aqui, nem sei onde tem café!!!” Aí ele ficou indignado e mandou (MANDOU!) eu olhar nos armários da cozinha e abrir umas latas que tinham lá. VAI VENDO!

Aí comecei a ficar puta da vida e falei gentilmente pro cara que não tava achando o café, aí ofereci chá. Chá eu via a galera tomando e sabia onde tava. Aí ele falou meio desapontado (olha que abusado o nego): “Ok, can be tea”.

Fervi a porra da água, botei o saquinho do chá lá, peguei uma colher e xuxei o saquinho na água até ficar de outra cor… catei a xícara com um PIRES (olha que chique, até pires tinha) e dei na mão do cara. Ele olhou o conteúdo, deu uma risadinha e disse: “WHAT ARE YOU DOING???” Como assim que que eu tô fazendo, manolo??? Tô fazendo a porra do seu chá!!!

Aí falei: “Que foi? Não tá bom?” Aí ele: “Por que você deixou o saquinho boiando aqui? E cadê o leite?” Aí eu: “MILK?? WHATAFUCK???”

Aí o nego deu risada e perguntou COMO os brazilians bebem chá??? Aí eu falei que a gente bebe chá desse jeitinho aí que ele tava vendo!!! Aí ele me falou que eu devia jogar o saquinho fora, pegar o leite o misturar no chá…

QUE NOJOOOOO!!! Fiz mó cara de nojo e falei pra ele que achava disgusting!!! Aí o nego acho que ficou meio de bode e me perguntou se tinha leite. Eu disse que sim. Aí ele perguntou QUE TIPO DE LEITE. E eu falei: “I don’t know WHAT KIND, but we do have milk”. O NEGO ME ABRE A GELADEIRA, PEGA O LEITE, ANALISA A EMBALAGEM E BOTA NO CHÁ!!!

First of all: nunca se abre a geladeira na casa dos outros!!! Cadê a educação??? Todo mundo fala que britânico é educado (e é mesmo, baseado no meu mino e na família dele), mas esse cara da internet era um abuso, gente!!!

Aí ele guardou o leite e saiu tomando o chá. E ainda disse “parabéns, seu chá ficou ótimo”.

Uns 20 min depois, o Thomas ligou bem na hora que o cara terminou o serviço. Eu disse que tava tudo consertado e que o cara era bizarro. Quando ele chegou em casa, contei toda a história e o maldito morreu de rir da minha aventura e saiu contando pra todo mundo, logicamente. Ele achou o cara um abusado, ficou meio puto, até, mas achou o máximo a lição do chá que ele me deu!!!

Vivendo e aprendendo, né… agora eu (e vocês que estão lendo) sei que britânico só toma chá com leite. E não, nunca tinha ouvido falar disso e continuo achando nojento as hell!!!

Bom, depois dessa aventura e de dias preguiçosos, fomos curtir meu último fim de semana em Stonehenge!!! Sabem aquele monte de pedras empilhadas que ninguém sabe se foram ETs ou povos antigos que colocaram lá? Então! Sempre tive vontade de ver de perto e o Thomas me levou lá. Realmente não tem nada demais, só um monte de pedra… mas é muito bizarro o jeito em que elas estão dispostas e todos os estudos e mitos que há por trás daquilo. Adorei!

Stonehenge

Fim da viagem!!!

Agora estou de volta e pretendo atualizar o blog com mais frequência! Eu sei que toda hora falo isso, mas é que estou sempre pretendendo, mas nunca cumprindo… não deixem de acreditar nas minhas boas intenções, please!!!

Vou voltar a focar na minha antiga vida Auperiana nos próximos posts, só preciso organizar os fatos pra compartilhar com vocês. Tem umas novidades acontecendo por aí e acho que vocês vão se interessar!

É isso, gente. Obrigada por lerem até aqui e um beijo enorme para os queridos que nunca me abandonaram!

Beijos!


Metade das fofocas que estavam faltando

Olá, gatinhas e gatinhos!
Voltei com o blog bem devagar, quase parando, mas estou fazendo o possível para continuar! Espero que vocês não estejam morrendo de tédio comigo.

Pra começar, gostaria de dar um hello bem grande para todas as fofoqueiras de plantão, hahaha Gente, 90% dos comentários do blog, mensagens no Twitter e e-mails que recebo são perguntando do meu bofe inglês! Que bafo, né!!! Me sinto até um chata falando da minha vida pós-au pair, de casos com host mom e kids… vocês querem mesmo é um balacobaco, né!? Hahaha!

Não vou detalhar muito nesse post por questões pessoais (e de olho-gordo O.O hehehehehe), mas em breve publicarei mais capítulos da novela! A questão básica é: sim, ainda estamos together!!! Sobrevivendo a uma relação bem da esquisita, mas feliz :) Ainda nos falamos todo santo dia, o que exige esforço das duas partes, considerando que temos vidas diferentes, fusos horários diferentes e às vezes até falta de assunto, mas isso, tirando a parte do fuso horário, qualquer casal precisa enfrentar.

Eu não estou vivendo um conto de fadas e nem faço planos mirabolantes para um relacionamento difícil como esse, mais ainda agora que voltei, acho. Mas coloquei na cabeça que vou viver um dia após o outro e enquanto estiver me fazendo bem e eu estiver feliz, ok! O dia que esperar e se esforçar tanto não valer mais a pena (espero que nunca aconteça), eu saio fora, ué. Ninguém tá me obrigando a fazer nada, portanto… vivo no meu ritmo! O mundo tá escasso de homem bão e minha rédea chega lá na Zoropa, então seguro o que eu tenho… desistir não é uma opção… pelo menos por enquanto! Concordam? haha

Quase todos os dias as pessoas me perguntam o que a gente vai fazer da vida e blá blá blá. Eu ainda tenho 2 anos de faculdade pra terminar, ele não vai se aposentar do exército SO SOON e nem a pau eu me mudaria pra Inglaterra pra ser sustentada por homem, ainda mais indo sem amigos, sem famíila, sem ninguém. Eu ficaria 100% dependente da vida dele e isso não é pra mim. Posso até começar como bartender com foco em gerência de bar, mas ficar lavando e passando… no, thanks! Então, quase sempre a minha resposta é… “não sei”! Simples assim! E eu estou bem e feliz e bem resolvida com isso. Ah, e por enquanto ainda acho que dei sorte e encontrei um bofe que vale a pena qualquer espera, qualquer esforço, qualquer tipo de dedicação… e acredito, por tudo que ele faz, que pensa o mesmo de mim, afinal as mina inglesa devem ser o ó.

Analisando o caso de diversas amigas, tanto as que fizeram parte da minha vida americana quando as velhas parceiras aqui do Brasil, percebi que distância é o “menos pior” dos casos. Às vezes a gente se dedica totalmente a uma relação que se vê todo dia ou todo final de semana e 2 ou 3 anos depois simplesmente não dá certo. Eu mesma já estive numa relação longa, fazia planos e tudo mais… e um dia simplesmente não rolou. Nem teve motivo, simplesmente desgastou, perdemos o interesse, paramos de nos dedicar, de nos esforçar e entramos num consenso de terminar. Fica aquela coisa “acostumada”. WE NEVER KNOW!

Às vezes bate um desespero estar tão longe, aquela vontade de dividir uma coisa que está acontecendo right now ou querer que a pessoa esteja com você num lugar ou momento específico e não ter jeito de solucioanar isso, além de encarar a barra sozinha. Mas se a pessoa vale a pena, vai compensar todos esses momentos de ausência… e é isso que eu sinto quando tô com o tal do inglês! Talvez eu esteja errada, até mesmo porque a gente não se encontra com tanta frequência, mas até hoje todas as vezes que nos encontramos, mesmo que fosse no Skype e tudo que ele fez e faz por mim dentro da vida louca que vive, tem muito mais valor do que tudo que já fizeram por mim até hoje. E é uma coisa que só eu sei, só eu vivo… então, vamo que vamo!

Terei novidades sobre isso em breve, aguentem as pontas aí.

Agora a parte chata do blog: minha vida sem o brilho citado aí em cima, hahaha!
Como não consegui voltar pra faculdade esse ano, quer dizer, até consegui, mas não valeria a pena por causa de grade horária zuada e tudo mais, tô meio à toa aqui ainda… e tá fueda! Nem reativei meu celular poque não tenho certeza que conseguirei pagar a conta todo mês, hehehehe! Enfim, resolvi que daria aulas de inglês! Uma amiga até me indicou numas escolas, mas ainda não mandei nada, pois resolvi considerar uma outra opção um pouco melhor. Mandei currículo e no mesmo dia já me chamaram pra entrevista!

Hoje fui lá, gostei muito e fiquei bem animada! Espero que dê certo. Acho que amanhã terei a resposta! Torçam por mim!!! Vai dar uma mudada na minha vida de leve e acho que tem a cara desse blog! Vamos ver, vamos ver… caso não der certo, vou tentar outras coisas na área (depois eu conto o que é) e pegar umas aulinhas de inglês para continuar no ritmo e não ficar parada até a faculdade começar de novo ano que vem…. boa sorte pra mim!

Por hoje é só, minha gente!

Beijos!!!

 

 

A volta pro Brasil

Oi, people!

Não tô conseguindo olhar pra esses bichinhos do layout. Não combinam comigo… mas já verifiquei que dá pra customizar tudo por aqui e assim que eu decidir o que fazer, o blog vai ficar de cara nova. Prometo!

Enfim… muita gente ficou sem entender o motivo de eu já estar no Brasil, já que o meu intercâmbio só acabaria em outubro e eu ainda tinha mil planos pro meu grace period e só queria voltar mesmo em novembro. Bom, muitos motivos contribuíram para a minha decisão de voltar antes, vou fazer a lista aqui pra vocês (tá fora de ordem, mas ok):

1. Eu já não estava mais tão feliz e as coisas começaram a pesar muito. Eu estava trabalhando demais, ficando muito cansada, de saco cheio daquela comida horrível, daquela vidinha mais ou menos, de me dedicar muito sem ser reconhecida, de fofa abusada e tudo mais. Vocês vão entender melhor quando eu contar os casos à parte, poderia passar o dia aqui fazendo uma lista… Aguentei bem o negócio, viu. Cada caso é um caso, mas quem conhecia minha rotina sabia que era coisa de outro mundo. Virei superhero pelas minhas kids, pois se não fosse por elas eu já teria ido embora há muito mais tempo!

2. No dia do meu aniversário, 22 de junho, meu carro quebrou a caminho de Atlantic City, onde eu havia reservado um hotel mara e balada mara cazamiga, tudo programadinho com meses de antecedência. Pegamos uma tempestade na estrada, teve acidente, fecharam a rodovia e tivemos que pegar desvio. A ruazinha onde tínhamos que passar ficou inundada (pois é, também tem enchente nos Zunidos) e eu fiquei presa entre o trânsito e a aguacêra! Como eu tava numa sinuca de bico do tipo “se ficar o bicho come e se correr o bicho pega”, observei os carros passando pelo alagamento e resolvi arriscar, pois se ficasse parada, a água ia ferrar com tudo do mesmo jeito. Até consegui atravessar, mas depois de 10 segundos o carro parou completamente! Aconteceu a mesma coisa com 2 outros carros que tentaram fazer a mesma coisa que eu.

Os mocinhos dos carros vizinhos vinham checar o nosso motor sempre que passavam e viam as 3 menininhas (eu, Kainara e Jana, minhas fiéis escudeiras) bonitinhas ensopadas por causa da chuva e desesperadas sem saber o que fazer. Alguns diziam que o carro já era e outros diziam que era só esperar o motor secar, ligar o carro e pronto! Ficamos umas 3 horas lá, até que o jeito foi pedir pra polícia chamar o guincho… adeus, noite bacana! Adeus, comemoração de aniversário! Worst day ever!!!

Fiquei sem carro desde então, pois deu PT no motor. Detalhe: meu carro era um lixo, velho pra caramba, vivia dando problema. O mecânico mesmo falou que aquela carroça deveria ter sido aposentada há tempos, pois poderia quebrar a qualquer hora. Agora me falem: como os nêgo deixam uma Au Pair dirigir um bagulho nesse estado, ainda mais sabendo que eu dirigia trocentas milhas por dia devido ao fato de eu morar em Fimdomundolândia??? Thank goodness nada disso aconteceu enquanto eu dirigia as kids, imagina a merda que seria.

Quando isso aconteceu, os fofos tavam fora do país e tive que pedir ajuda pros avós pelo telefone. Ajuda = pegar o número do seguro do carro e SÓ, pois quem tirou a gente do inferno mesmo foi o fofo da Jana, que dirigiu na maior chuva por 1 hora pra buscar a gente no meio da estrada. A avó foi um amor tentando me acalmar e me incentivando a aproveitar meu aniversário, já o avô, que era um amor comigo meses atrás, parece que passou a me odiar e nossa relação na casa, que era diária, nunca mais foi a mesma. Até os “bom dias” se tornaram raros.

3. Presa em casa e 100% dependente das minhas amigas me levarem e buscarem em qualquer lugar, acabei ficando super deprê. Eu nem podia sair à noite pra dar uma voltinha e me livrar daquele caos, pois onde eu morava não tem calçada e tudo fica ridiculamente longe. Sabendo que eu ficaria em casa anyway, minha fofa pediu 2x pra eu dar “uma olhadinha” nas kids e colocá-los na cama enquanto ela saía com as amigas, o que eu achava o maior abuso depois de trabalhar 10h sem parar, sem sentar, sem falar com ninguém, sem pegar num celular, num computador, sem contato com o mundo. FREEDOM!!!

Mas a gota d’água mesmo foi quando fomos pra casa de praia durante 2 semanas com a fofa, umas amigas dela e seus 2 milhões de filhos. Por todos esses dias, acabava trabalhando 24h, pois à noite eu não tinha nada pra fazer e nem pra onde ir e a casa tava BOMBANDO de pirralho alheio enchendo meu saco. Eu não tinha onde ficar na casa e acabava ficando ali, né… ajudando = trabalhando que nem loca! Não dá pra simplesmente pra sentar a busanfa no sofá e fingir que não tá vendo a casa de cabeça pra baixo com 2 milhões de crianças.

Eu não tinha um minutinho livre pra respirar, usar o telefone ou internet (não tinha wifi) naquela casa durante 2 semanas. Sério, até quando eu ia ao banheiro fazer minhas necessidades vinha criança atrás bater na porta me enchendo a paciência e ainda falando “TÔ OUVINDO SEU XIXI SAINDOOOO!!!” Ah, vai cagá, né. Pior que nem eram as MINHAS kids e as mães desses monstrinhos nem faziam nada, sabe. Acabava virando Au Pair das 19 (isso mesmo, 19) crianças. E digo mais: eu dividi por 2 fucking weeks o quarto E A CAMAAAA (A CAMA!!!) com meu kid e o AMIGUINHO. Os moleques me chutavam à noite e meu kid até chegou a me acordar 3 da matina DUM SÁBADO pra eu buscar água na cozinha hahahahahahaha e ó, na praia, enquanto as fofas fofocavam com os bebês no colo, adivinhem quem era a bonita que ia olhar os maiorzinhos no mar??? Mó saco. Se fossem só as minhas… enfim. CANSEI e foi nessa mesma semana que avisei a fofa que ia embora. O foda era ouvir das amigas dela coisas do tipo “Bia, você é tão sortuda de poder ficar aqui curtindo essa casa de praia linda!!!”. Ah, vai cagá, né. Até parece que nunca vi casa de praia na vida! E a fofa com aquele papinho de “você está aqui como parte da família para se divertir com a gente”. BLA BLA BLA! Se divertir my ass, né.

4. Os motivo não foram só esses. Além do problemão com o carro e da minha rotina sem noção, me dei conta meio em cima da hora que minha PID e minha CNH do Brasil estavam pra expirar. Até tentei tirar uma carteira de motorista da Pensilvânia, mas não me deixaram porque eu precisava ter um DS válido por pelo menos 6 meses e só estava válido por mais 5. Muito azar! Na mesma semana em que meu carro quebrou, minha carteira de motorista expirou. Até tentei resolver o problema, mas não teve jeito mesmo. Nem contei nada pros fofos, pois seria mais um stress. Aí fiquei com isso na cabeça… mesmo que eles me dessem um carro novo, eu ficaria 4 meses dirigindo sem carteira, o que é muito arriscado se tratando de Estados Unidos, né.

5. Fora isso tudo que rolou, teve outro problema muito pessoal que não vou detalhar aqui no blog. Uma pessoa da minha família ficou doente e logo que aconteceu tudo isso, fiquei sabendo que a situação tinha piorado. Fiquei muito mal… as coisas ficam bem mais intensas quando a gente tá longe. Aí comecei a analisar se valia mesmo a pena ficar nos Estados Unidos passando por tudo isso enquanto eu poderia estar com a minha família. Foi quando tomei a decisão final e, graças a deus, todo mundo me apoiou. Minhas amigas diziam que eu deveria ter ido embora muito antes de chegar a esse ponto, mas eu não quis por causa das crianças. Por mais que sejam muitas, eles eram demais e eu já tô morrendo de saudade dos pivetes. Mentira, só dos bebês e do meu moleque… da menina ainda não consegui sentir falta, hehehehehehe. Eu liguei pra minha LCC, que tentou me convencer de mil jeitos a ficar, mas eu já tava mais do que decidida e com passagem marcada!!! Deu 1 mês e 1 semana exatos do dia em que falei pra família que eu voltaria pra casa até o dia em que embarquei.

A história de COMO contei pra minha fofa que iria embora é outra maior ainda, acho que vou deixar pra outro post. Mas o resumo é esse aí. Até daria pra detalhar mais, mas o texto ficaria muito grande e tô com preguiça.

É isso, pessoal. Vou assistir um episódio de Dexter com a minha mãe. Estamos viciadas!!! Beijo e até a próxima :)

 


Post sem compromisso

Deixa eu já começar explicando o que tá acontecendo aqui!

Há alguns meses, semanas, sei lá, deu um problema no meu layout do WordPress, onde hospedo meu blog, e eu não conseguia consertar por NADA nesse mundo! Ainda não consegui, na verdade. Único jeito de colocar essa joça no ar era trocando o layout, mas o problema é que eu não conseguia achar NENHUM decente e, pra piorar, eu não tinha tempo pra resolver essas coisas!

Eu poderia colocar qualquer coisa, como esse de bichinho fofinho que tá aí agora, mas eu não queria!!! Eu amava meu layout antigo e ele não foi de graça, minha gente. Isso que me deixou mais p. da vida! Cheguei até a mandar e-mail e a falar com o designer pelo Twitter, mas nada adiantou :(

Bom, ultimamente ando com mais tempo disponível e resolvi tomar vergonha na cara e fazer alguma coisa. Recebi ZILHARES de e-mails e mensagens no Facebook perguntando do meu blog! Senti que ocêis gostam mesmo dessa espelunca e que eu deveria dar sinal de vida por aqui não importa de que jeito. Hoje sentei a busanfa no sofá e resolvi enfiar qualquer layout agradavelzinho só pra poder voltar a escrever. Yay, aqui estou!

Quem tiver tempo sobrando e quiser ajudar, me mandem umas sugestões de temas para WordPress aí!!! Pode ser pago, não tem problema, eu pago para ter uma coisa bonita como tinha antes. Eu gosto da “casa” arrumada pra receber visitas, sabe? Não fico feliz em botar texto aqui quando o blog tá todo zuado. Enfim…

Vou resumir pra vocês o que anda acontecendo: estou no Brasil!!! Voltei pra casa antes da hora e a história é bem longa. Era pra eu ter voltado em outubro/novembro, mas voltei no comecinho de agosto. Depois explico porquê. Prometo.

Acho que agora que não sou mais Au Pair, esse blog vai ficar mais focado na minha vida pós-Au Pair. Será que será um tédio de ler?

Fora isso, penso em contar pedaços das minhas aventuras que acabei não escrevendo aqui no blog numa ordem cronológica certa, mas sempre que lembrar de algum fato, venho aqui, abro o blog e registro minhas memórias. Que que cêis acha? Vira e mexe lembro de umas coisas engraçadas, dramáticas e loucas enquanto converso com amigos e família sobre minha experiência nos EUA… aí pensei: por que não contar no blog, né? Posso fazer isso tudo enquanto meu livro não sai…

E além disso, vai continuar servindo como um tira-dúvidas para as Au Pairs que estão começando o processo ou para as bonitonas que já tão ficando loucas com essa vida. Vou assumir o posto de Au Pair veterana, pois agora tenho graduação no negócio, minha gente! Com QUATRO monstreeeenhos ainda! Sou PhD mêmo!!!

Bom, é isso. Minha vó tá assistindo o programa do Silvio Santos e sinto que ela quer discutir o assunto. Vou dar uma atenção pra ela em vez de ficar grudada nesse computador mardito.

Ah, o sistema de comentários do blog também ficou zuado!!! Fui atacada por uma onda de spams e tem mais de MIL (sem exageros) comentários para aprovar ou “denunciar como spam”, então vou tentar organizar isso o mais rápido possível, mas não me julguem se eu não responder comentários… leva um tempão issaê, mas eu prometo que leio tudo!!! :)

Beijos e espero voltar logo. Desculpem pelo layout tosco… I’m working on it.

 


Oi!

Gente, voltarei a postar em breve! As coisas estão muito loucas por aqui, mas pelo menos acho que terei novidades mais interessantes para compartilhar.

Espero que não tenham se assustado com o layout RI-DÍ-CU-LO que tomou conta do meu blog nos últimos dias e também por ter ficado fora do ar por um tempo. Acontece que eu esqueci de atualizar o WordPress e deu uma confusão com a instalação do meu tema! Tive que recorrer ao meu suporte técnico desesperadamente, minha sorte é que ele é um dos melhores amigos que essa vida me deu! Beijo, Gule :*

Enfim, tô tentando arrumar tempo pra consertar o que ainda tá quebrado por aqui e pra voltar a postar com mais frequência!

Beijo pra todos :)

Novidades e o desafio do coconut

Oi, minha gente!

Não tenho muita coisa pra contar, então esse post não será tão enorme quanto costuma ser!

Esse fim de semana que passou foi St. Patrick’s Day aqui, quer dizer, foi lá na Irlanda, mas o povo comemora aqui nos EUA também! Passei com a Kainara, com o mino dela e com o amigo mega nerd do mino dela! Tinha tudo pra ser um desastre, mas nada como sua melhor amiga presente e várias cervejas verdes por preço de banana (quero dizer, preço de 10 cachos de banana, pois aqui cerveja não fica barata nem quando tá mais barata).

Acabei de escrever um post bem legal sobre o St. Patrick’s Day pro blog do STB, deve ir ao ar em breve! Se calhar de eu atualizar esse blog aqui, aviso vocês! Adivinhem… tem fotos! Pois é, sei que não posto fotos nesse blog porque dá muito trabalho de selecionar o que quero compartilhar! Aí já me toma um tempo que eu não tenho… então peço que se contentem com as fotos que eu posto lá no STB que são bem legais, com as esporádicas que posto no Twitter ou para os phynos como eu que tem iPhone (mesmo que véio e com a tela rachada), também posto coisinhas lá no Instagram! Minha conta é fechada, mas eu acabo autorizando todo mundo que não tem cara de estuprador!!! Mas só para dar uma água na boca (quem vê pensa que esse post é tipo um episódio de Grey’s Anatomy né… super esperado)… tá aí uma foto procês da gente gata e bêbada de verde:

Enfim, não tem muita história pra contar do St. Patrick’s além de que é verdade que bebem cerveja verde, se vestem de verde e comem comidas verdes (comida com corante eu digo, não salada viu gente)… e fiz amizade com uns tiozões num bar porque coloquei rock de véio na jukebox!!! Quê mais??? Ah, levei minha câmera e quando a Kainara tava de mimimi com o mino dela, eu saía gravando vídeo pro meu inglês HAHAHAHA mas nossa, fui ver os vídeos quando cheguei em casa e eu nem lembrava!!! Muito manguacêra! Eu falava tipo: “Hi my love!!! Estou aqui com a Kainara e com fulano e fulano, fale oi pra eles!!! Veja só o bar… veja minha cerveja verde… veja esses quadros na parede que legal… é isso I love you!!!” HAHAHA que fim de carrêra né!!! Tem uns vídeos da gente no carro tb… a gente fez tipo um pub crawl indo pra vários bares diferentes… aí o amigo nerd do mino da Kainara que dirigia porque ele é nerd e não bebe!!! (Eu sou uma nerd que bebe, no caso). Aí sei lá porque eu tava com uma bexiga, acho que catei num dos bares… aí fiz um vídeo conversando com o balão e narrando a noite, nossa senhora… aí sempre terminava falando That’s all guys I love you” HAHAHAHA sem comentários pra mim, pessoa solitária de verde!!!

Era pra eu ir manguaçar em Philly, mas aí deu tudo errado e acabei sendo uma vela verde pra Kainara, mas foi massa assim mesmo porque eu amo ela e tudo mais! Falando na Kainara, gente, minha BFF (essa expressão é tão americana fútil que eu adoro usar) fez um blog!!! POIS É! CHECK IT OUT! Como ela tá no começo e só tem 2 crianças, tem mais tempo e empolgação pra atualizar… então pode ser que ela conte coisas lá no blog dela que eu esqueço de contar aqui! CLIQUEM AQUI, mas só depois que terminarem de ler meu post… ou então cliquem com o botão direito e vá em abrir em uma nova aba… pronto, deixe carregando lá pra ler depois.

Aqui em casa continua tudo bem! Tá calor, gente!!! TÁ CALOR! Eu odeio verão e calor, mas odeio inverno trancada em casa com 4 pentelhos tb… então prefiro calor e poder levar eles pra todo canto! Minha rotina fica mais massa.

Ontem levei meus maiores pro playground, joguei futebol, basquete e fui no balanço fazer competição de quem vai mais alto. E conquistei uma coisa: ensinei minha kid a balançar sozinha no balancê!!! QUE BELEZA!!! Não tem nada mais irritante do que ficar empurrando criança no balanço! É só esticar a perna e dobrar, esticar e dobrar, esticar e dobrar… não tem erro. No more pushing!!! Ela era mto preguiçosa, pqp… aí fiz uma coisa maldosa: fiz meu kid ficar zuando que ela não sabia!!! Aí como nessa idade eles são muito competitivos, minha menina não queria ser ruim no balancê sendo que meu menino já balança sozinho né… sabe o que deu??? Aprendeu em 5 minutão o bagulho!!! Ah vá, não posso com manha!!!

Ahhh e domingo eu cheguei cedo em casa, tirei uma soneca pra recuperar a manguaça do sábado e fiquei de boa. Aí minha fofa me mandou uma mensagem me convidando pra jantar com eles e que o irmão do fofo tava aqui. Acho que ela já falou isso porque sabe que sou amiga dele e que pelo menos tenho alguém pra conversar… aí eu tava falando com o inglês no Skype essa hora e super não queria ir jantar com eles! Tava sem fome, sem saco e com saudade do meu mino… mas aí pensei… eu NUNCA, mas NUNCA janto com eles por motivos óbvios: bagunça de criança. Criança na mesa nunca te proporciona uma refeição de paz, então prefiro não comer… simple as that!!! Mas aí como o clima aqui em casa tá melhor, resolvi ceder, respirar fundo e fui lá comer com eles. Como tava calor, montaram a mesa lá fora e foi bem legal!!!

Os babies tavam comportadíssimos, nem tive que me preocupar com eles, pois os pais tavam tomando conta… só brinquei um pouquinho com os maiores e depois se viraram sozinhos. Fiquei praticamente o tempo todo conversando com o irmão do fofo sobre baladas, viagens, festas, manguaças etc… a gente tá super amigo! Tb, né! Acho que faz 1 mês que ele tá praticamente morando aqui pra pintar a casa!!!

Não tenho mais novidades, então vou falar desse negócio que tá aí no título: o desafio do coconut!!!

Hoje eu tava na cozinha preparando o almoço dos fedelhos e o irmão do fofo (que como eu disse, praticamente tá morando aqui, mas acho que hoje foi o último dia) começou a puxar papo e tal. Aí contei pra ele que fiz a maior cagada: meus babies só bebem leite de amêndoas, pois têm reações esquisitas pra praticamente todo tipo de leite, incluindo o normal e o de soja. Só que a anta aqui comprou leite de coco em vez do de amêndoa por engano, pois as embalagens são MTO, mas MTO parecidas!

Aí perguntei se ele curtia leite de coco e entramos no assunto de coco, sei lá.

Aí ele falou: “Você sabia que é possível mandar um coco pelo correio???” Aí eu: “Mas não é proibido mandar comida pelo correio?” Ele: “É, mas coco pode! Vi isso na TV e numa revista do National Geographic! É só grudar uma etiqueta e os selos no coco e mandar… ele chega desde que todas as infos estejam certas!”

Ficamos mais um tempo viajando nessa história e tal… depois pesquisei sobre isso no Google e vi que É VERDADE!!! É pelo coco ser a fruta mais forte de todas as frutas… e não vai estragar e nem “estourar” no caminho… nossa, pirei nessa história. Em um dos sites que pesquisei sobre isso, tinha uma foto de como o coco é mandado… vejam:

VIRAM???

Aí o irmão do fofo me deu uma ideia: “Bia, você tem um blog, né??? E disse que uma vez você pediu livros pras suas leitoras e acabou recebendo um monte, não é verdade?” Aí eu disse que sim e ele: “Por que você não pede pra que te mandem um coco só pra ver se o negócio funciona mesmo???”

Gente, viajei nessa ideia. Eu sei que parece idiotice… mas não é. Eu quero provar essa teoria! HAHAHAHA! Eu duvido MUITO, mas MUITO mesmo que alguém que ler isso vai ter coragem de me mandar um coco, mas não custa nada desafiar, né??? Além disso, o Brasil tem uns dos melhores cocos do mundo e eu tenho muita saudade!!!

Como eu não sei SE ou quantos cocos vou receber, quero deixar uma promessa bem idiota: eu prometo que para cada coco que eu receber, eu mando um cartão postal de volta hahahahahahaha Nada justo, eu sei, mas não sei o que dar em troca… me deem ideias!!!

Eu fiquei imaginando a pessoa indo ao correio carregando um coco, colocando a etiqueta lá com o endereço! É mto hilário e muito sensacional!

Enfim… se você está disposto a participar do desafio coconut para ganhar um cartão postal exclusivo (imperdível hein) ou um outro prêmio surpresa que ainda vou criar, envie um e-mail para be.morgado@gmail.com e eu lhe enviarei meu endereço aqui nos EUA para receber meu coco!!!

É o que tem pra hoje, pessoal!!!

Aquele hug!!!

 

Aparecendo de vez em quando

Acho que vocês nem acreditam mais em mim quando falo que vou atualizar o blog em breve, né? Não precisam acreditar, porque acho que quanto mais eu prometo isso, mais difícil fica!

Eu sumo por tanto tempo e acumulo tanta história pra contar que dá até preguiça… quem sabe num dia que faltar assunto eu conto tudo com mais detalhes, né. Fica difícil. Há 2 semanas fui com amigas passar um fim de semana em Atlantic City em NJ (uma cidade conhecida como mini Vegas por causa dos cassinos, baladas e hotéis) e aconteceu tanta coisa bizarra que minhas amigas sempre falavam: “Bia, essa história vai ter que ir pro seu blog!!!” Aí eu prometia: “Claaaaro, semana que vem tá lá…” E cadê, né???

Mas fico feliz que a maioria de vocês entendem a correria da minha vida e que simplesmente não consigo dedicar todo o meu tempo livre ao meu blog! Eu preciso tomar conta de outros hobbies e me divertir de outras maneiras, senão ficarei meio entediada. Estou indo pra academia uma noite por semana apenas, 2 noites da semana trabalho com os textos pro blog do STB, outra noite da semana eu trabalho à noite como Au Pair mesmo e de sexta à noite faço qualquer coisa que dê vontade, geralmente é sair com as amigas ou ficar horas conversando com meu namorado no Skype, afinal também sou filha de meu deus e mereço esfriar a cabeça. Aí esse blog, pobrezinho, fica para minhas raras noites de inspiração em que sinto que preciso desabafar… ou que preciso fazer algo para meus leitores continuarem a gostar de mim :)

Enfim, people! Vamos às notícias de mim mesma…

Aqui em casa tá tudo bem! Sério, minha relação com os fofos não poderia estar melhor. Minha relação com as crianças também está perfeita. Aquela conversa comentada no post anterior foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. Como escrevi lá, os dois lados precisaram ceder muito e eu continuo cedendo a cada dia. Eu tenho trabalhado bastante, mas com mais prazer. Eu e minha fofa temos conversado bastante todos os dias sobre qualquer assunto. Às vezes me pego fazendo piadinhas e rindo de qualquer bobagem… isso não acontecia há muito tempo aqui e me sinto muito mais confortável na casa. Ainda tenho dias difíceis em que fico exausta, principalmente porque minha menina de 5 anos (que é a mais difícil e a mais chatinha dos 4) não tem ido pra escola, mas ainda assim tá tudo bem melhor do que antes.

Quando fico trabalhando um tempinho a mais, faço isso agindo como uma irmã mais velha mesmo, não como se fosse minha obrigação. Não é fácil, pois às vezes planejei algo ou tô tão cansada que quero sumir, me trancar no quarto e me jogar na cama, mas essa é a parte que eu chamo de CEDER e graças ao meu esforço as coisas tem sido bem melhores aqui. Esse último fim de semana passei inteirinho trancada em casa, só saí pra ir ao shopping comer alguma coisa. Quando voltei, tava toda minha família na sala e foram super legais comigo. Brinquei com as crianças um pouquinho, dei atenção pros mais velhos e até troquei uma fralda… mas foi tudo numa boa e natural, sabe… como sempre deveria ter sido. Meu fofo tava um amor também, me chamando de “Be”. Ele só me chama assim quando estamos BFF (best friends forever).

Podem ficar feliz por mim, pois eu merecia essa paz. Essa vida já é dura o suficiente pra ainda ter que viver numa clima ruim!

Não tenho feito nada de muito especial, além do fim de semana em Atlantic City com as gurias. Eu teria que escrever um post somente pra isso pra poder contar tudo o que aconteceu, mas não tô no clima. Resumindo, foi assim: eu e a Kainara éramos as únicas Au Pairs da galera, as outras meninas são todas ex-Au Pairs que trocaram o visto pra estudante pra fazer faculdade, mas ainda trabalham como nanny e vivem com a host family (que é o caso da minha amiga Jana) ou são casadas, moram com o marido, mas também trabalham como nannies e estão fazendo faculdade pra que possam sair dessa vida do cão logo, hahaha! Enfim… o patrão de uma das meninas (a Lu) emprestou o apartamento da praia pra ela e pra gente! LUXO. Foi uma delícia. Na primeira noite fomos pra balada de táxi, mas ficou absurdamente caro… o que nos fez ir dirigindo na noite seguinte, pois o preço compensou mais, considerando que uma das meninas da galera não bebe, então não teria problema dirigir.

Na primeira noite eu e a Carol curtimos como se não houvesse amanhã. Nossa! Não lembro da última vez que saí com amigas e curti tanto uma noite. Balada da boa, sabe, nada dessa coisa suburbana aqui!!! Me deu uma nostalgia de Vegas, vixe… só faltou meu inglês bonitão!!! Mas em compensação, tinha 5 brasucas gatas ao meu redor hahaha Enfim, gente. Fico até com vergonha de escrever isso aqui, mas vamos lá: eu e Carol estávamos empolgadas, hein. Bebemos sei lá quantas vodkas Grey Goose, coisa fina. Aí uma turma de carinhas ficou amiga e pagou drinks pra gente, foi sucesso!

Tinha umas dançarinas de biquini porque era um pool party à noite, sabe. Do nada o povo entrava na piscina no meio da festa hahaha insano!!! Aí nossa… depois de altas vodkas, eu e a Carol fomos bater papo com as dançarinas de pole dance dizendo que elas eram o máximo e que elas tinham altos MOVES!!! Aí toda menina que a gente via de vestido escroto, a gente ia lá falar: “Licença, onde você comprou esse vestido GORGEEEEOUS???” Aí sabe como é americana né, adoram um paparico… davam mta atenção pra nóis!!! Uma veio falar que comprou o vestido em Miami e que nem vendem nessa região hahahaha Que mentira, aposto que é da Forever 21!!! (Sem ofensas, adoro a Forever).

Uma hora achei um brinco no chão DO NADAAAA e saí perguntando nas mesas de quem era… aí achei a dona do brinco e ficamos super amigas!!! Ela até me apresentou as outras amigas dela hahaha Tudo de Philly! Olha que emoção! Não sou de sair e encher a cara, nossa, sou super sussa… tanto que bebo uma cervejinha 99% das vezes que saio, não sou fã de destilados… mas tenho que confessar que de vez em quando uma manguaça é boa pra lavar a alma!!! Eu andava muito deprezinha, de saco cheio dessa vida suburbana, com saudade do meu namorado… aí sair com as girls e chegar a esse ponto é tudo de bão.

Fomos nós todas amontoadas no táxi de volta pra casa… aquele treco sacolejava tanto!!! Jamais esquecerei. Quando o negócio finalmente parou, só lembro de ter falado “alguém paga pra mim, amanhã nóis resolve”… até hoje não sei quem pagou meu táxi, eu acho que foi a Kainara ou a Jana, aí dei o dinheiro pra Kainara acho!!! Aí desce eu e a Carol do táxi e BLEEEEERRGHHHH na casa do vizinho HAHUAHUAHUAHUAHUAAHUA que shame gente!!! QUE SHAME!!! Duas ADULTAS responsáveis por crianças vomitando na rua depois da balada! VIXE se a polícia pega nóis vai presa!!! Aqui não tem moleza não, não pode manguaçar em público hahahahaha que funny que foi!!! E ADIVINHEM… ficamos presa pra fora do prédio com menos duzentos graus clesius lá fora depois da balada! Eu e Carol alucindamente bêbadas… aí depois fomos descobrir que a Lu tinha o código da porta e esqueceu de falar hahahahahaha Foi tão, mas tão engraçado (depois que a gente já tinha entrado, né… pois enquanto estávamos no frio tava foda…) que comentamos disso durante o fim de semana inteiro!!! Kainara também aprontou uma nessa noite depois da balada, mas não vou contar porque é sacanagem cazamiga!!!

No dia seguinte, todas nós vegetamos 80% do dia, curtindo aquela ressaca… a Jana, única sóbria da noite anterior, fez até lição de casa da faculdade, vai vendo!!! Depois de regarregarmos as energias, fomos pra balada number two! Todas de sapato baixo, pois ferramos o pé na noite anterior de salto alto… bizarro! Foi massa até, mas a noite anterior foi épica!!! Tinha um loirão bonito lá que todas se apaixonaram… ele tava numa mesa reservada com mais uns trezentos amigos bebendo até, era um aniversário! Aí a Jana do nada ficou amiga dele e acabamos bebendo de graça e dançando em cima do pufe!!! Foi awesome essa noite!!! Me lembrou muito Vegas na noite em que conheci meu namorado (hahaha) e os trezentos amigos dele!

O que mais posso contar…

Ah, semana passada fui no show de uma banda que eu amo e que nunca pensei que veria ao vivo!!! Levanta a mão quem conhece VAN HALEN!!! Muito bem, um beijo para as 3 pessoas que levantaram a mão! Huahhauuhauhauahuhahua! Pois é, eu e meus rock de véio né!!! Gosto mesmo e minhas amigas nem conhecem as bandas que eu piro! Mas a Thaísa conhece!!! A Thaísa é uma menina que conheci pelo Facebook no grupo de Au Pair e chgamos aqui nos EUA no mesmo dia. Ela mora a 1h e pouquinho de mim, mas nunca tínhamos nos encontrado pessoalmente sei lá pq… até esqueci que ela tem esse gosto musical bizarro igualzinho ao meu!!! Aí fomos no show juntas, que massa! O foda é que foi num a SEGUNDA FEIRA à noite, ve se pode!

E vejam bem… no domingo à noite, quando cheguei de Atlantic City do fim de semana junkie, prometi que iria dormir 12 horas seguidas, pois precisava estar com energia suficiente pra ir no show e conseguir trabalhar na terça. 7h30 da noite eu tava dormindo já, mas acordei meia noite com minha fofa e meu fofo GRITANDOOO pela casa!!! VAI VENDO!!!

Fiquei morrendo de medo, achei que tivesse um ladrão aqui, sei lá… aí corri lá pra baixo pra ver o que tava rolando: adivinhem… meu baby (meu xodó, minha kid favorita) teve convulsões!!!!!!!!!!!!!! FOI INSANO!!! Eu não sabia o que fazer, ele tava todo pálido, minha fofa e meu fofo tavam desesperados… aí ligaram pro 911, veio ambulância e polícia aqui… e eu de pijama preparando mamadeira, arrumando uma malinha pro baby levar pro hospital e coisas do tipo!!! Me dá arrepio só de lembrar dessa noite! Aí meus fofos foram pro hospital e fiquei em casa com minha outra baby, que acordou assustada, mas ficou quietinha tadinha… fiz outra mamadeira pra ela e capotou de novo. Só fiquei observando a babá eletrônica e tb deixei a porta do meu quarto aberta pra caso dos maiores acordarem no meio da noite. Resultado: não dormi!!! Primeiro porque eu tava muito preocupada com meu baby no hospital e tb porque eu tava sozinha em casa com as 3 outras kids de madrugada, tinha que prestar atenção… meu quarto é no último andar.

Fiquei praticamente 2 noites seguidas sem dormir direito, se eu contar a noite do show. Demorei pra caramba pra recuperar o sono perdido e tb a energia, sendo que nos dias seguintes trabalhei normalmente… mas foi mais tranquilo, pois como minha fofa queria ficar observando meu baby, acabava fazendo coisas só com os maiores. Cheguei até a ir no shopping com minha menina um dia, foi fun.

Então, meu baby teve isso por causa da febre!!! Ele já tava com uma gripe, aí teve febre e depois a convulsão. Os médicos disseram que esse tipo de convulsão não é grave, só acontece por causa da febre muito alta, mas não deixa nenhum dano no cérebro, nada como os outros tipos, sabe… mas é preciso observar, porque ele pode não conseguir respirar ou morder a lingua. Enfim… foi tenso demais esse dia! E a pior noticia é: pessoas que tem esse tipo de convulsão são propensas a ter sempre que tiverem febre alta. E ainda pior: é uma coisa muito comum em bebês!!! Imagina minha fofa, né… super preocupada agora. Até eu! Temos um papel aqui em casa sobre o que fazer se isso acontecer. Demos pra todo mundo da família ler e pras babás que vem aqui à noite também. Só espero que não aconteça de novo!!!

Fora esses conflitos, tá tudo bem!

Fim de semana passado fiquei trancada em casa, tava muito desanimada e queria guardar uma grana, quero fazer umas viagens! Comprei um calendário (hahaha) e vou começar a planejar melhor meus fins de semana, pois só tenho mais 7 meses aqui e logo logo é hora de voltar pra casa!

A novidade é que quase todas minhas amigas agora tem namorado ou marido, o que tem sido meio esquisito! Lógico que fico imensamente feliz por elas, mas percebi que não sei ser a solteira da galera! Eu sempre tive namorado, sempre fiz programa de casal ou com outras amigas que também tinham namorados hahaha Agora é meio weird, sabe. Eu tenho um namorado miles away, o que ainda assim ajuda, porque quando tô carente, pelo menos com quem conversar e pra quem ligar!

Minhas amigas solteiras que sobraram são muito party hard… não sou baladeira. Minha cota de balada já acabou no fim de semana de Atlantic City que foi mto legal. Pra eu recuperar o pique, preciso de um mês relaxing ou mais! Eu curto sair pra jantar, ir pra bares, lugares mais tranquilos… minhas amigas tem feito isso, mas com seus amados! Eu não ligava antes, mas agora é esquisito. Acho que tô com muita saudade do meu namorado e queria poder fazer todas essas coisas com ele. Aí fico triste. Tudo sobre casais me deixa irritada no momento, o que não é saudável pra mim e nem pras minhas amigas, pois não quero cortar o clima delas, né!!! Aí fico aqui na minha… eu, meus seriados e meu namorado no Skype! Que deprê!!!

Eu não ligo de ser solteira se todo mundo estiver solteira, mas quando tá todo mundo acompanhada e você é a única sozinha, sei lá, parece que a solidão piora. Minhas amigas são tudo que eu tenho nesse país aqui… se eu resolvo não sair num fim de semana, fico totalmente sozinha ou “trabalhando”, não tenho opção de curtir a família ou sei lá… ai que bosta, né.

Já que tocamos nesse assunto, eu e o inglês, apesar da distância, estamos bem! Relativamente bem, eu diria. Nos falamos todo dia, ele já me mandou mais presentes e notinhas escrito “love and miss you” pelo correio, hahaha. Já aguentou altos dramas e carências de Beatriz… já passou noites em claro só pra ficar me fazendo companhia. Pois é, relacionamentos à distância dão nisso. A gente faz o melhor que pode e com as ferramentas que têm na mão. Até acho que somos criativos!

Há uma chance de a gente se ver antes do esperado! Eu não quero me empolgar muito com essa possibilidade, mas não tem como. Mesmo tudo sendo muito difícil, eu ainda fico muito feliz por ter ele na minha vida, por ter com quem conversar no fim de cada dia, por ter alguém que se importe, que diga coisas bonitinhas quando eu preciso ouvir, que finge achar minhas piadas engraçadas, que me liga mesmo quando tá com os amigos e ainda me deixa conversar com todos eles hahaha Isso faz a diferença. Se eu não tivesse ele, provavelmente estaria me decepcionando com esses american guys babacas que não fazem meu tipo (não todos, mas a maioria) ou com mais vontade ainda de voltar pro Brasil… mas ele ainda é a melhor parte do meu dia e me faz feliz. Isso que importa, né?

Muita gente aposta que isso vai dar merda, que não vai durar. Ou acham que sou louca ou way too brave de tentar manter um namoro (?) desse jeito, com tantos países envolvidos, sem nem fazer planos pro futuro porque é tudo tão diferente e difícil… mas sei lá, né. Um dia de cada vez. Pode ser que ele só seja mesmo meu amor de intercâmbio, mas pode ser que seja pra vida inteira. Enquanto me fizer feliz e enquanto eu notar que ele se esforça o tanto quanto eu pra fazer isso dar certo, eu tô dentro! Se a coisa mudar, pelo menos rendeu boas histórias pro meu blog! hahaha

Bão, galera. Post feito!!!

Vou assistir o penúltimo episódio de Greys Anatomy hoje!!! ME DIGAM O QUE É ESSE OWEN??? Como pode existir um personagem masculino melhor que Derek Shepherd??? Sério, meu bichinho de pelúcia chama Derek!!! Agora preciso arrumar outro pra chamar de Owen! Tô apaixonada!

AHHH ANTES QUE EU ME ESQUEÇA: meu blog foi invadido por spams!!! Pois é, tem 231 comentários para serem aprovados aqui no blog (juro), mas acredito que 200 sejam só spams!!! Eu não tô conseguindo rejeitar tudo pq é muita coisa, então PLEASE tenham paciência que eu responderei todos quando tiver um tempo de resolver esse problema, ok??? Não sei pq isso aconteceu, que cocô!!! Mas vou dar um jeito de consertar e não deixar vcs na mão! Podem continuar comentando pq eu respondo tudinho… só não sei quando hehehehe!

Bjo bjo!!!

 

 

Mãe, nem leia esse post porque tá grande pra dedéu

Oi, gente. Tô de volta.

Dei uma sumida boa porque as coisas aqui ficaram mais tensas do que de costume e explicarei melhor o que aconteceu nas próximas linhas. Sempre que fico um tempão sem atualizar, acumula assunto, então fico sem saber por onde começar, aí começo falando abobrinha… vou tentar escrever por partes, pois minha vida tá doida.

(more…)

Reclamando de bom humor

Acordei com o maior mau humor da terra, mas terminei o dia com um bom humor inexplicável, mesmo que hoje eu tenha mil motivos para estar p. da vida.

Vou começar reclamando para terminar o post de um jeito mais alegre, pode ser?

CÊIS NUM ACREDITA no que minha fofa fez ontem. Eu estava preparando a mamadeira dos meus babies (que já estavam dormindo), ela passa na cozinha e diz: “Beatriz, amanhã (que é hoje, quinta-feira) vou sair com minhas girlfriends umas 7 horas e queria que, enquanto eu estiver fora, você fique observando a babá eletrônica porque os pequenos estarão dormindo… aí para os maiores você bota um filme na TV, faz uma pipoca e entre 8h30 e 9 horas coloque eles para dormir”. (Quem vê pensa que é tão simples assim…)

Aí eu, super sem reação, falei “Ok”.

(more…)

1 2 3 6