Experiência com crianças!

Baby-Dog

(aposto que você fez “ouuuuuunnnnn” para as duas imagens…)

Depois do post PUNK de ontem, cheio de regras, frescuras e chatices, resolvi escrever hoje um texto mais alegre, cheio de fotos e de dicas legais! Espero que vocês gostem! :)

Todo mundo sabe que o principal pré-requisito para ser uma au pair é gostar de crianças. É muito fácil gostar de bebês, tão fácil quanto gostar de filhotes de cachorro! Desculpem a comparação infame, mas é verdade! O que NINGUÉM gosta é de limpar cocô de cachorro, da mesma forma que trocar fralda de neném não é mais legal do que jogar video game.

Continue reading…

Dica: Agendamento do visto americano (DS-160)

Estou na tão temida fase de agendamento da entrevista para obtenção do visto no consulado americano. Uma das piores partes, segundo 99% dos blogs “auperianos” que li por aí, é o preenchimento do DS-160 form, o formulário gigante que dá pau toda hora!

Como todas as au pairs, sem exceção, precisarão passar por isso, resolvi registrar nesse post a minha saga no preenchimento do DS-160 e ir comentando com algumas dicas!

Não se assustem com o tamanho do post, é enorme mesmo… eu quis deixar tudo o mais claro e explicadinho possível, pois sei o quanto isso é chato!

Check it out!

IMPORTANTE! —>

Continue reading…

Valores do programa Au Pair

Tenho recebido alguns e-mails, mensagens no Facebook e no Twitter de meninas com dúvidas em relação ao valores do programa Au Pair. Então, resolvi criar um post sobre isso para tirar algumas dúvidas.

É claro que o valor varia de agência para agência, cada uma tem sua taxa de inscrição e outras coisas, mas acredito que o valor seja bem aproximado, pelo menos nas agências em que tive contato: STB, Experimento e CI.

Vou compartilhar com vocês os valores exatos da STB, que é a agência que eu escolhi. Lembro que das 3 citadas acima, a STB tinha o valor médio, sendo que a Experimento era a mais cara e a CI mais barata. Eu contei NESSE POST o porque de ter escolhido a STB. Vale a pena dar uma olhada :)

Vamos lá…

O valor do programa é de US$ 980,00. Como é em dólar, você paga em reais de acordo com o câmbio do dia. Nesse valor, está inclusa a taxa de inscrição (US$ 230,00), que você deve pagar assim que tiver seu teste de inglês aprovado e no início do preenchimento da application (dossiê) e também os US$ 750,00 dólares, que você paga somente quando já tiver uma host family!

diversas formas de pagamento: à vista, parcelado no cartão, com juros, sem juros… isso é melhor você conversar na agência, pois também acho que varia um pouco em casa uma!

Neste valor (980 dólares), também estão inclusos os seguintes itens:

Continue reading…

Au Pair Na França! (por Débora)

Oi, gente!
Para incrementar o conteúdo do blog, convidei a Débora para escrever aqui sobre a experiência dela como au pair! O diferencial dela é ser uma Au Pair na França, não nos Estados Unidos como a maioria das meninas que aparecem aqui, o que é uma opção de país que tem o programa regulamentado pelo governo (assim como a Alemanha e a Holanda). Outra curiosidade é que a Débora resolveu procurar uma host family por conta própria, não por agência! Corajosa, hein?
Enfim, vou parar com o spoiler e deixar ela contar aí… Have fun :)

Continue reading…

Au Pair para meninos! (Male Au Pair)

Hoje um amigo meu veio me perguntar como é esse “tal esquema de au pair” e eu expliquei bem resumidamente nos pouquíssimos caracteres do Twitter. Ele me disse que umas amigas dele já tinham feito o programa e queria saber mais sobre, pois ouviu dizer que alguns meninos também fazem.

Eu respondi dizendo que nem todas as agências de intercâmbio trabalham com meninos (das que eu tenho conhecimento, apenas a InterBrasil, Yep!, Yazigi Internexus, Go Au Pair e World Study), mas que  já havia visto alguns meninos por aí postando em blogs, fóruns e páginas no Facebook. Os Male Au Pairs também são conhecidos como “Mannys“, que deriva da palavra “Nanny”, babá em inglês.

O processo de seleção e aprovação é o mesmo das au pairs femininas: teste de inglês, comprovação de no mínimo 200 horas de experiência com crianças, preenchimento da application (dossiê), vídeo de apresentação etc. Porém, tudo é mais puxado para os meninos! É óbvio que a maioria das meninas já nasce com aquele “instinto materno” e um jeitinho para lidar com crianças.Vocês conseguem imaginar um garoto de 19 anos trocando fralda e preparando mamadeira NA BOA? Que existe, existe! Mas é pura raridade!

Eu acredito que a maioria das famílias que contratam os “mannys” são single dads (pais solteiros) ou famílias que têm muitos filhos meninos! Eu recebi o contato de uma família que tinha 4 meninos! O mais velho tinha 11 anos (grandinho já, né) e o mais novo de 2. Eu acho que seria bem mais legal para essa família ter um au pair homem, que ensinaria os boys a jogar futebol, brincar de carrinho e andar de skate.

Enfim, nada é impossível. É claro que o processo de match deve demorar muito mais! Mas não vejo um porquê de uma família recusar um menino bacana, inteligente, com inglês bom, com boa experiência e paixão por crianças :) Por isso, meninos que têm interesse no programa au pair, caprichem na application e já comecem a afiar o inglês! Ah, e tenham bom senso, né? Não será uma viagem de férias, é HARD WORK!

Para finalizar: Alguém conhece um male au pair brasileiro?


Pre-Departure Project – APC

bia-festa-junina

Esse post é totalmente dedicado às meninas que serão Au Pairs pela STB, que tem a Au Pair Care como sponsor.
A maioria das agências pede fotocolagem e mais um monte de firulas para completar o application (dossiê). A STB não pede, mas em compensação, temos que fazer um projetinho para apresentar no workshop em New Jersey quando chegarmos nos EUA, antes de irmos para a casa da host family.
Sim, esse projetinho é um pé no saco, mas temos que fazer, uai. Eu recebi as instruções e tinha MUITA coisa nada a ver, na minha opinião.
Pesquisei por aí dicas de meninas que já fizeram esse projetinho, mas não vi nada muito relevante! Comecei o meu hoje às 10 da manhã e terminei um pouquinho depois das 18h. Acho que ficou lindo e suficiente, pois eles “exigem” que você tenha gasto pelo menos 8 horas fazendo o negócio.

Continue reading…

Presentes para a host family!

Oi, gente!

Eu já tenho meu match, estou esperando a data para conseguir meu visto americano e chegando perto do dia do meu embarque, 3 de abril.
Tenho algumas coisas para fazer até lá, como ir no Detran fazer minha carteira de motorista internacional, fazer alguns exames médicos que faltam (só por desencargo de consciência), conseguir receita de pílula anticoncepcional (única coisa no mundo que, além de ser um anti-babies, controla minhas cólicas insuportáveis) e… e… pensar nos presentes para dar para minha host family!
Não sei se vocês já começaram a pensar nisso, mas todo (ou pelo menos QUASE todo) intercambista dá presentes para sua host family, é como se fosse um ritual em forma de gentileza! Hehehe!
No meu caso, são 4 kids + host mom + host dad. É claro que não levarei uma mala só para presentes, então precisam ser coisas pequenas, leves e criativas… 6 coisas!!!
Já tô começando a pesquisar em alguns sites, como o Manual da Au Pair Preguiçosa Prática e em blogs de atuais e ex-au pairs que já passaram por isso!
Fiz uma listinha de algumas ideias que coletei por aí. Me ajudem a completar, hein! Tenho só 2 meses para resolver tudo isso!!!

Para as crianças:

Livrinhos interativos
Havaianas
Toalhas bordadas com os nomes!
Brinquedos educativos de madeira/artesanais

Continue reading…

Brincadeiras infantis in English!

kidart

Hello, people!

Como vocês podem ver, o blog está de endereço novo :) Que coisa boa! Estou sofrendo com esse WordPress, mas logo, logo arrumo o layout e deixo ele todo bonitão. Estou com problema de acentuação nos títulos, não sei mais o que fazer :( Só trocando a fonte, mas aí vai ficar feio… Não reparem nisso por enquanto, ok? :P

Para agregar conteúdo aqui, resolvi compartilhar uma coisinha interessante que vi no blog “Au Pair is…” São nomes de brincadeiras infantis em inglês! Podem ter CERTEZA que vamos usar boa parte das brincadeiras dessa lista, então é preciso que saibamos falar o nome delas, right? Além de saber o nome, a lista dá ideias de coisas que podemos fazer com as kids! É interessante ver que muitas brincadeiras tem a tradução totalmente diferente em inglês, como “mãe da rua e Simon says”!

São essas aí:

to play hide-and-seek – brincar de esconde-esconde
to play tag – brincar de pega-pega
to play cops and robbers – brincar de polícia e ladrão
to play dodgeball – brincar de queimada
to play hopscotch – brincar de amarelinha
to play leapfrog – brincar de pular sela

Continue reading…

I have a Match!

Ihuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuul!

Agora é oficial! Fechei com a família R. hoje e estou muito feliz! Ontem falei com a host mom pelo Skype e foi ótima a nossa conversa! Ela deixou eu ver as crianças e fez questão de me deixar “sozinha” com a atual au pair da família para conversarmos melhor. Cada vez tenho mais certeza de que essa família é pra mim :) Ela disse que não precisava dar a resposta imediatamente e que era pra eu conversar direitinho com meus pais, pois essa é uma das maiores e mais importantes decisões da minha vida!

Logo depois da conversa pleo Skype, liguei para a STB e falei com o gerente para saber os procedimentos, pois a minha orientadora estava em treinamento em São Paulo. Ele disse que assim que estivesse tudo ok, o próximo passo é a host family avisar a Au Pair Care (sponsor da STB nos Estados Unidos) e então a agência aqui do Brasil poderia começar a liberar os documentos para a obtenção do visto.

Hoje mandei um e-mail para a host mom dizendo que conversei com todo mundo e estou decidida. Ela me respondeu MEGA fofa e empolgada! Trechos do e-mail: Continue reading…

Opinião das ex-au pairs da família R.!

Sei que tô mandando um post atrás de outro nesse blog, mas é que nesse processo tem muita coisa acontecendo e MUITO rápido.

Bom, como eu comentei no post “O que perguntar numa Interview?”, uma das coisas que eu considero mais importante é falar com as ex-au pairs da host family, caso exista alguma. Minha opinião é que é MUITO FÁCIL a família falar bem dela mesma (duvido que você falaria mal da sua mãe, pai e irmãos), e outra coisa é a opinião de alguém que já passou exatamente pela mesma experiência que você pretende passar.

Como vocês já sabem, eu estou encantada com a família R. e quase fechando um match com eles. A host mom deixa tudo muito claro nos e-mails, já falei com o host dad ao telefone e está tudo ok. Eles já tiveram 3 au pairs, eu seria a 4ª. A primeira é da Alemanha e a segunda do Equador. Elas duas trabalharam lá quando os bebês ainda não haviam nascido (sortudas, HEHEHE). A au pair que ainda está lá é da África do Sul.

Continue reading…

Família S.: “A lot of farming…”

BELIEVE ME! Mais uma família no meu profile em 15 dias. High-five!

Essa eu ainda nem respondi porque o resultado do meu match com a família R. sai hoje! Mas ó… mesmo que não dê certo, eu acho que não ficaria com a família S. mesmo assim. EIS O MOTIVO:

Me mandaram um e-mail curto e sem graça (enquanto as outras 3 famílias foram VERY KIND e muito claras sobre o que estão procurando). Por curiosidade, é claro, entrei no meu au pair room para ver a descrição da família.

Para começar: ACHO que é single mom porque não tem qualquer descrição (nem nome) de um possível pai. E ela é enfermeira, ou SEJE, Beatriz o dia inteiro em casa ALONE com as kids. E é sempre bom ter uma mãozinha de ajuda da mãe quando necessário, né.

Continue reading…

Família C.: 5 kids?!

Eu nem ia escrever um post para essa host, mas é só pra registrar e saber a opinião de vocês sobre a minha atitude.

A host mom da família C. me mandou um e-mail pedindo para eu checar o perfil da família no Au Pair Room. Eu fiquei muito feliz, pois ainda não havia recebido o e-mail AWESOME da família Rose e estava bem desiludida com eles.

Assim que chequei a família, até assustei. 5 KIDS! Gente… 5 kids é muita kid, falaí! Tudo bem que a maioria das crianças já é grandinha, mas mesmo assim! Detalhe: QUATRO das crianças são meninos! Um menino de 10, outro de 8, outro de 5 e um casal de gêmeos de 1 ano. Fala sério. Acho que nem se eles forem as crianças mais fofas e obedientes do mundo eu daria conta de 5.

Continue reading…

Interview com a família R. e mais novidades!

Esse post, por enquanto, é o mais empolgado de todos. Mentira, acho que o mais empolgado foi quando apareceu a primeira host family no meu profile :)

Hoje tive a interview pelo telefone com a família R., mas ao contrário do que eu pensava, foi o host father que falou comigo ao telefone! Achei estranho, pois todos os 398473847329 e-mails trocados com a família até agora foram entre mim e a mãe.

Ele ligou no meu celular e a ligação estava PÉSSIMA. Pedi para que ligasse na minha casa para ver se melhorava. Melhorou um pouco, bem pouco mesmo, mas prossegui a conversa mesmo assim.

Continue reading…

Interview com a familia B.!

Hello, people!

Como eu havia comentado nos outros posts, ontem falei pela primeira vez com uma host family pelo Skype! Foi com a host mother da família B. A host da família R. ficou de ligar hoje, às 16h (my time), porque se fosse ontem ficaria muito tarde aqui no Brasil.

A conversa foi SUPER tranquila e durou quase meia hora. Eu não tinha muitas perguntas, pois a maioria das minhas dúvidas já haviam sido respondidas por e-mail. Ela pediu para eu falar de mim, o que gosto de fazer, que tipo de música eu gosto, entre outras coisas. Ela é uma garotinha, sério! Tem 28 anos, é muito bonita e muito simpática. Conversamos sobre músicas que gostamos em comum (na verdade, a banda favorita dela é a banda favorita do meu namorado – Dave Matthews Band – e achei isso muita coincidência)! Fiquei muito à vontade, pois ela ficava sempre sorrindo e mostrando interesse sobre o que eu estava dizendo, mesmo esquecendo as palavras de vez em quando! :P

Continue reading…

Desanimando e reanimando com as famílias…

HELP ME, PEOPLE!

Como vocês já sabem, estou em processo de matching com duas famílias.

A primeira, a família B., eu praticamente já desconsiderei. Pensei bem e vi que há grandes chances de eu me dar mal lá. Não porque eles são chatos e tal, mas acho que vai ser MUITO monótono. Os pais trabalham fora o dia inteiro e, se a mãe não tirar licença (a licença maternidade americana não igual aqui no Brasil, né? As grávidas aqui ficam na maior mamata…) eu ficarei sozinha em casa O DIA INTEIRO com dois recém-nascidos. Provavelmente não terei carro pra sair e nem ninguém para conversar. A cidade, Marlton – NJ, não tem absolutamente NADA pra fazer e nem NADA perto. Vou morrer de tédio :(

Enfim, ainda não falei com eles direito para tirar essas dúvidas (como a do carro, por exemplo). Conversaremos hoje pelo Skype depois das 20h (my time). Estou nervosa, pois já que desanimei dessa família, não quero deixá-los com esperanças, mas também nem sei como dispensar. FUEDA!

Continue reading…

A maioria dos americanos não estuda geografia!

Aposto que muitas au pairs em processo de matching entraram em contato com famílias que achavam que elas falavam espanhol, não português.

Pois bem…

Isso aconteceu comigo. Eu um dos e-mails que recebi, tinha um parágrafo muito simpático em que a host mom explicava o porque de ter o costume de trabalhar com au pairs de outros países em sua casa. O motivo é que as au pairs, se quiserem (não é obrigatório, ela grifou isso), ensinem sua língua nativa para as crianças. Explicado isso, ela continuou a frase dizendo que adoraria que eu ensinasse ESPANHOL, “my native language” para as kids delas. E AÍ, NÉ?

Continue reading…

Família R.: mais gêmeos! :)

Oi, gente!

Em menos de 24 horas recebi o contato de duas famílias, que demais! Isso sim é deixar uma futura au pair empolgada e muito, muito, mas MUITO confusa!

A família R. me mandou um e-mail quando eu estava saindo de casa. O e-mail era longo e cheio de palavras difíceis. Parei tudo o que eu tava fazendo e li. É BEM diferente da família B. que eu contei ontem aqui no blog, mas as duas tem seu lado bom e o lado ruim.

O casal mora na Pennsylvania numa cidade chamada Sellersville. Parece ser bem bacana. A host mother disse que tem MUITAS au pairs na região, a maioria alemãs e brasileiras.

Continue reading…

Família B.: grávida de gêmeos!

Ontem a noite recebi o primeiro e-mail de uma host family! Fiquei muito empolgada na hora, mal conseguia ler o e-mail. Li os primeiros parágrafos e fui correndo contar para minha mãe!

É uma sensação muito boa saber que alguém viu seu perfil e achou que você é compatível com a família! Ainda não respondi o e-mail, pois quero pensar muito bem no que escrever. Tenho algumas dúvidas e quero falar com a minha orientadora primeiro.

A descrição da família é a seguinte:

Continue reading…

Por que ser uma Au Pair?

Olá!

Desde que decidi ser Au Pair, vivia dizendo que criaria um blog para registrar e compartilhar todas as experiências dessa aventura totalmente diferente da minha vida. Agora que a minha viagem está cada vez mais perto, application entregue, accept recebido e famílias começando a aparecer, já vi que estava mais do que na hora de criar o blog!

Depois de pesquisar inúmeros (e carésimos) cursos de inglês no exterior, acabei encontrando o programa Au Pair, li MUITO sobre ele e achei perfeito pra mim. Fui em 3 das melhores agências de Campinas: CI, Experimento e STB. Me informei o máximo que pude sobre o programa nas 3 e, no final, acabei escolhendo a STB. Foi o melhor custo-benefício que encontrei e onde me senti mais segura devido às exigências que eles têm. Além disso, tive afinidade imediata com a minha atual orientadora, a Karina Pilz.

Tirei todas as minhas dúvidas em muitas visitas que fiz à STB e nas conversas com a Karina. Em uma delas, meus pais foram junto e tiraram as dúvidas deles também. Eu sabia que o processo seria lento, pois eu ainda estava trabalhando em uma agência de publicidade que me consumia MUITO tempo (e energia), além de trabalhos infinitos na faculdade.

Coloquei uma data limite e tomei uma decisão: saí do meu emprego e comecei um estágio numa escolinha, a Preduc. Minhas horas de experiência com crianças ainda não eram suficientes para trabalhar como babá nos EUA, por isso o estágio era mais do que necessário. Na Preduc eu trabalhei com crianças de várias idades, de 0 a 6 anos, mas passei muito mais tempo no berçário com os bebês. Me apaixonei por tudo aquilo e cada vez tinha mais certeza de que o programa Au Pair seria perfeito pra mim!

Muita gente me achou meio doida por largar um emprego na minha área e trancar a faculdade por um ano para ser BABÁ! Bom, não é uma decisão fácil de se tomar, mas logo pensei que não tinha nada a perder. E não tenho mesmo! Terei uma experiência no exterior, uma chance de sair da “asinha da mamãe” e aprender a me virar sozinha, vou conhecer um novo país, uma nova cultura, novas pessoas… vou voltar falando inglês fluente (o que é mais do que obrigatório no mercado publicitário) e terei uma experiência para a vida toda! Ah, tenho certeza que, por causa disso, serei uma ótima mãe no futuro (ou não! rs).

Enfim, tenho certeza que será uma ótima experiência! Minha irmã fez intercâmbio para a Alemanha em 2008, ela tinha 17 anos e fez High School. Minha mãe fez intercâmbio quando tinha 18 anos para Dallas, no Texas e meu tio para Ohio. Minha família tem a “cultura” intercambista, acho que isso ajuda muito, pois todos me apoiam muito e estão tão empolgados quanto eu para essa viagem!

Nos próximos posts contarei mais coisas sobre o processo de ser uma Au Pair e espero, em breve, estar escrevendo aqui no blog de um computador em algum lugar dos Estados Unidos com uma família bem legal :)

Beijos e boa sorte para todas as futuras Au Pairs que devem ter caído nesse blog de tanto que estão pesquisando por aí…