Quero ser Au Pair, mas não gosto de crianças. O que fazer?

Super Why and The Super Readers! Meu desenho favorito!!!

Dando uma pausa nas postagens sobre minha viagem pra Califórnia (é sábado, gente!!!) e computador quebrado, aqui vai um post sobre um assunto que comecei há bastante tempo, mas dei uma atualizada e só consegui terminar agora (do computador do paizão, hehehe)!

Já recebi diversas mensagens de meninas com a seguinte dúvida: “quero fazer Au Pair, pois é um dos únicos programas de intercâmbio que tenho condições de pagar, mas não tenho jeito com criança! Ainda assim, acho que vale a pena tentar para poder viver uma experiência lá fora. O que você acha?”

Recebi um comentário aqui no blog parecido com esse semana passada e resolvi retomar o assunto e escrever sobre isso, pois parece ser algo bem comum entre algumas meninas que me enviam e-mails, mensagens etc.

Primeiramente, gostaria de lembrar que essa é minha opinião pessoal e que pode ser diferente da realidade de outras pessoas. Mas já que sempre me perguntam, lá vai:

Eu recomendaria a essas meninas, de início, a nem pensarem em ser Au Pairs, pois sempre digo que gostar de crianças é o principal pré-requisito pra coisa toda dar certo! Porém, gostar de crianças e ter jeito com crianças são duas coisas bem diferentes. Se você não gosta, não tem jeito. Que nem eu… não gosto muito de bicho, então, jamais seria passeadora de cachorros!!! Sei que a comparação de crianças com animais é meio infame, mas vocês entenderam, né? Hehehe! Se você não tem muito jeito ou não tem certeza se vai dar conta do recado, minha principal recomendação é: faça MUITOS testes enquanto estiver no Brasil! Faça trabalhos voluntários em ONGs, trabalhe em alguma creche, cuide do filho do seu vizinho, sei lá… fique imerso no mundo de babysitting!

Eu sei que a maioria das meninas mente a quantidade de horas no application, acho que faz parte… e até acho que ok você aumentar um pouquinho, mas ter ZERO de experiência e colocar 500h é sacanagem, né?

Minha visão, pela minha própria experiência, é que não é fácil ser Au Pair, a vida lá não é oba-oba, não é um curso de idiomas nas férias, não é pagar de gatinha andando de carrão e blusinha da Hollister! Não é tirar fotinho com a dona estátua da Liberdade… o mundo lá não é só o que o Facebook mostra, É LABUTA, mermão!!! E por ser tão difícil, acho que acabamos superando muitas coisas e engolindo muito sapo por amor às crianças, por paciência, por dedicação, por bom senso… se você não gostar ou não tiver o mínimo jeito com elas, que serão sua maior responsabilidade o tempo todo, a coisa não vai funcionar direito! Acredite!

Você não precisa amá-los como se fossem seus, apesar de meu sentimento ter chegado muito perto disso com os meus kiddos… mas precisa se entregar! Se você quer se sentir parte da família, mesmo que de vez em quando, precisa fazer por merecer!

As pessoas sentem quando você tá ali só por diversão ou quando está realmente preocupada com o que está acontecendo!

Eu entendo que nem todo mundo tem condições de pagar um intercâmbio de estudos, um MBA no exterior, um curso de idiomas normal… e o Au Pair acaba brilhando os olhos de muita gente por causa do preço e da remuneração. Porém, reafirmo: acho que a maior cagada que você pode fazer é ser babá de criança, sendo que não tem afinidade nenhuma com o job!

Aprenda a gostar ANTES de embarcar. Pense que seu mundo, dali pra frente, será isso: você saberá de cor todas as musiquinhas do Disney Channel e do Discovery Kids, saberá tudo sobre alimentação infantil, sobre brincadeiras de todos os tipos. Suas primeiras palavras com pronúncia fluente serão: “bottle”, “good job”, “stroller”, “potty”, “playroom”, “playdate”, “snack”, “time out” e “tamtrum”. Believe me! :)

Super Why and The Super Readers! Meu desenho favorito!!! <3 <3 <3 A musiquinha é a melhor... procurem no YouTube!!!

Super Why and The Super Readers! Meu desenho favorito!!!

Eu amei minha experiência, apesar das dificuldades! Amo demais minha host family, apesar de ter tido vontade de fugir daquela casa inúmeras vezes! Amo tanto que to contando os segundos pra visitá-los! Amo muito minhas kids e com certeza vou amá-los pra sempre! Choro que nem boba só de ver as fotos!!! Porém, esse amor não foi à primeira vista, precisou de muita paciência para ser conquistado!

É esse o conselho que eu dou pra vocês! Se alguma Au Pair que não gosta de crianças e está se dando bem nos EUA está lendo isso aqui, por favor, pronuncie-se… pois na minha visão, isso é algo impossível de acontecer!!!

Ah, só para vocês entenderem melhor a minha situação: eu entrei no programa com todo esse receio: será que vou dar conta? Será que gosto de crianças ou elas é que gostam de mim? Será que tenho jeito? Nunca troquei um fralda na vida! OH MEU DEUS!

Por causa de todas essas minhas incertezas, corri atrás do prejuízo e me coloquei à prova: trabalhei em ONG, trabalhei em creche, brinquei muito com qualquer criança que via pela frente e acho que peguei amor por isso! Ah, sendo Au Pair, descobri meus pontos fracos: eu não supoooooooooooorto brincar de “fantasiar”, sabe? Não de colocar a fantasia, mas de ficar inventando coisa, tipo Lucas Silva & Silva no Mundo da Lua!!! É da época de vocês???? HAHAHA!

Mundo da Lua!

Mundo da Lua!

Gente, eu tinha horror quando a minha kid de 5-6 anos queria brincar de irmãs (já contei isso no blog , né?), brincar de hora do chá… aí ficava fingindo que tinha chá no bule e eu tinha que fingir que bebia. Aí fingia que comia um croissant de plástico… e fingia que queria mais… nossa, quer horror que eu tenho de fingir. AGORAAA… me bota num jogo de tabuleiro, por mais boboca que seja (tipo I SPY, Candyland – esse aqui a aupairzada conhece bem!!!) ou LEGO, ou jogar bola no quintal… brincar de carrinho, de video-game… quebra-cabeças (meu hobby nerd), vixe… to em casa! Brinco até o sol raiar!!! Ah, gosto muito de Arts&Crafts também, pintar, colar, desenhar, recortar… piro!!! Eu fazia isso com minha kid, mas ela quase sempre queria brincar de irmãs ou de escola (onde eu tinha que fingir que era a aluna, mas na verdade, queria fingir que tava morrendo – tédio)…

Isso é Candyland! Se você for Au Pair de menina, com certeza vai jogar muito isso...

Isso é Candyland! Se você for Au Pair de menina, com certeza vai jogar muito isso…

ENFIM, é isso por hoje!!!

Meu computador continua quebrado, mas esse é um post que comecei a escrever há muito tempo e consegui terminar hoje! :)

Beijo procês e espero que tenham gostado das dicas!

:***

Comentários

Comentários

22 Comments

  1. Daniele   •  

    Oie Bia tudo bem??

    Meninaa eu adoro seu blog…. Eu leio suas historias desde quando voce ainda estava na busca de hostfamily… Teve ate um caso da sua host (antes de vc embarcar) que parecia que ia ser um problemão mas no fim tudo se resolveu… Já faz tempo e eu não lembro da historia exatamente.

    Mas então, voce até me ajudou a escrever a minha carta para a hostfamily atraves de email, voce nao deve lembrar anyways…

    Me identifico em muitos topicos seus aqui no blog, fui au pair de 2012 ate o começo desse ano, morei em CHICAGO!!! Eu simplesmente amo aquela cidade, e vi tbm aqui no blog que vc tbm gosta muito de chicago. Alias todo mundo gosta!! haha Pois então voltei em Março desse ano, estou meio que ainda naquela depressao pós volta.. Horrivelllll… E ai eu tenho uma historia mais ou menos parecida com a sua…. Conheci um americano atraves do POF hahaha exatamente o POF, tive sorte depois de 1 ano e meio na busca… Encontrei a pessoa que no first date eu ja pensei: Esse é o THE ONE!!!!

    Conheci ele no final de Setembro do ano passado. Essa parte de THe one, nao foi só da minha parte, ele tbm… E ai segundo date logo em seguida, e terceiro date ele me perguntou: Hey Dani do you want to be my girlfriend? I know you are leaving soon, but we can see how things works out.

    E é claro que aceitei, e ai a coisa já ficou super séria a partir dali. No natal ele me levou para Cleveland onde os pais moram e passamos uma semana la, fui apresentada para a familia toda e fui muito mimada por todos… =) Nao pensei que podia ser tao feliz quanto estava sendo. Mas ai claro, na volta de cleveland p Chicago, a gente teve uma pequena briga besta, e foi rendendo até que pooff Ele decidiu terminar comigo 3 dias depois do ano novo! E ai ele disse que ia ser melhor, pq eu estava indo embora, e ele estava gostando de mim mas nao queria se apegar mais sendo que eu ia embora em 1 mes e tal. #americanolouco Mas ai a gente nao parava de trocar texts e as vezes ele me ligava. OU seja nao mudou muita coisa.

    E depois de 3 semanas “separados” decidimos voltar e aproveitar os ultimos dias juntos.

    E ai voltei p essa b… de brasil, e pensei que a gente ia sei la perder o contato, ou entao ele nunca mais ia falar comigo, mas nao… Parece que a vontade de estar juntos cresce ainda mais.

    E agora não estamos em uma long distance relationship, mas é como se fosse, pois a gente conversa todo santo dia, skype um dia sim outro nao. E ele tem plans p me visitar ainda nesse ano.

    Mas eu vou te dizer uma coisa… its really hard and I miss CHicago like crazyyyyyy

    Ah!! E me identifiquei muito com vc na parte que vc disse sobre os amigos daqui do brasil… Eu tbm sinto a mesma coisa, é estranho, ninguem entende…

    BeijAOO Bia

    Me desculpa se falei demais… me empolguei.. hahaha

    Ahh e Boa Viagem e curtta muito seu boyyyyyyy

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Oi, Dani!!!
      Nossa, que delícia ler um comentário tão grande de alguém que conhece toda minha história e lê me blog desde o início!
      Eu lembro sim que te ajudei com a carta! Foi uma das únicas pessoas que me pediu ajuda com carta pra host family, hahaha a maioria me manda e-mail qeurendo saber do vídeo, do Au Pair Project, se deve largar a faculdade ou não… enfim!
      Que bafo sua história com o americano!!! Tenho uma amiga que está noiva, namorando há quase 3 anos… e conheceu o cara no POF :) Ela trocou o visto para estudante e está nos EUA ainda, vai casar ano que vem! O POF surpreende, hahahahaha!
      Eu imagino o quanto você sente falta de Chicago… eu sinto falta de Philly também, as coisas lá eram bem diferentes! Mas a vida continua, né…
      Espero que seu boy venha pro Brasil te visitar!!! E você deveria contar minha história pra ele, aí ele vê que long distance relationship dá certo, só basta querer hahahahaha
      Boa sorte em tudo!!! E obrigada por comentar aqui!
      Beijo grande!

  2. Matheus   •  

    Pra quem não curte muito crianças também tem um programa que chama Work And Travel!

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Essa é uma ótima opção, Matheus!
      Eu mesma fui atrás desse intercâmbio, só achei ruim por causa da curta duração… são 3 meses, né?
      Eu queria ter uma experiência mais \”profunda\”! Mas pra quem não gosta de criaças, sem dúvidas é mais acessível que um curso de idiomas e uma ótima experiência também! :)

  3. Camila de Souza   •  

    Oi Beatriz,
    Eu adoro ler esse blog, porque estou fazendo o processo para me tornar
    au pair, e poucas falam sobre o job pesado mesmo, criança irritada, criança quando ta manhosa, quando ta com dor, o que eles gostam de fazer, como é a rotina, acredito que na prática eu vou sentir na pele, mas obrigado por compartilhar suas experiências porque de certa forma ler as suas, ajuda a me preparar para a minha!

    Boas férias, beeeijo!!

    Por favor, continua escrevendo sempre!!!

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Oi, Camila!!! Obrigada por comentar!
      Boa sorte na sua jornada :)
      Beijos!

  4. Maylis   •  

    Oi Bia!

    Eu amo seu blog, um dos primeiros que comecei a ler quando comecei a pesquisar sobre au pair…

    Nossa eu super me identifico com esse assunto… Eu passei a vida inteira dizendo ” eu detesto criança!”, “Não vou ser mãe!”, “Crianças são chatas!” e etc. Mas a verdade é que eu nunca dei uma chance pra uma criança na minha vida, pensava nelas como o inimigo, um absurdo eu sei, mas era assim. Todos achavam estranho eu não gostar de criança, mesmo eu já sendo tia e tendo primos pequenos, porém essas eram as únicas crianças que permitia ter um contato comigo.

    Então como eu ia cuidar dos filhos dos outros? Foi ai que pensei, tenho que ver se dou conta né? Comecei a fazer qualquer coisa pra ficar perto dos pequenos, filhos de amigas, filha da vizinha, meu sobrinho, escolinha da igreja… Enfim, eu me permiti uma nova experiência e descobri que eu não ODEIO as crianças…

    Na verdade é igual a convivência com qualquer outro adulto, uns você vai se dar maravilhosamente bem e com outros não vai aguentar um minuto por perto rsrsrs… Eu passei a amar os pequenos que eu comecei a cuidar. Esse pré-conceito que eu tinha, adquiri vendo alguns maus exemplos de pais com seus filhos, me impediu muito tempo de querer um filho meu rsrsrs.

    Eu sei que eles não são fáceis, é puxado, cansativo, tem horas que você só quer dormir, mas eles querem ouvir a história do Frozen mais uma vez ( não aguento mais “let it go”) rsrsrsrs… Mas como é gostoso aquele beijinho no rosto, aquela voz dizendo “tia te amo”, ou “teu bolo é mais gostoso”, “não vai embora agora”, não é que supere as dificuldades, mas compensa. Eu acho pelo menos.

    Não sei mais quanto ao au pair na minha vida, minha prioridade virou a faculdade, mas já posso agradecer, aqui mesmo do Brasil, a esse intercâmbio que não fui, por me abrir os olhos em relação as crianças e me fazer ver, que embora tenham seus momentos de tolice, elas são seres maravilhosos, leva tempo até eles confiarem 100% em você, mas quando confiam é tão lindo! Enfim, foi o que eu aprendi até agora.

    Se permitam um dia sozinhos com uma criança, é o melhor teste pra au pair! rsrsrs ou você ama ou você liga pra mãe no meio do dia dizendo que desiste! rsrsrsr.

    Há e eu amo brincar de imaginação! De comidinha, de casinha, de restaurante, de Barbie… Vai ver eu que ainda sou uma eterna criança! rsrsrsrs

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Oi, Maylis!
      Obrigada por compartilhar sua história e sua opinião, adoro esses comentários gigantes cheios de detalhes, tem tudo a ver com meus posts hahaha
      Tenho certeza que você será uam ótima mãe!!!
      Beijos!

  5. Ana Beatriz Hordonho   •  

    Oi, parabéns pelo blog, ele ajuda muito em várias questões. Eu to pra embarcar mês que vem e fiz um blog agora também é: http://www.vidadeaupair.com
    Da uma olhada, também to dividindo bastante todas as experiências.
    Outra coisa pra falar, é que eu tive no consulado dia 5 e podia jurar que te vi no café que tem bem em frente. hahahaha mas não tenho certeza.
    Bom, beijão, boa sorte com a sua nova trip!

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Oi, chará-com-Ana-no-nome! rs
      Demorei um pouquinho pra te responder porque seu post foi parar no meio dos spams, desculpe!!!
      Você já deve ter embarcado, né?
      Não desista do seu blog, vale super a pena no final ler suas próprias histórias!

      E eu estava no consulado dia 05/07, provavelmente você me viu mesmo hahaha
      Beijos!

  6. Cristina   •  

    Oi Bia td bem?
    Faz muito tempo que leio o seu blog mais nunca me pronunciei. Vc é uma celebridade no nosso mundo haha. Quando estava pesquisando para ser au pair conheci seu blog. Tudo que vinha na minha cabeça de au pair, ia lá olhar seu blog. Decidi ser au pair, mais e a progressiva?? ferrooo… vou lá olhar no seu blog e tinha a informação. Finalmente MATCH! mais e agora oq levar na mala?! (vou lá ver tudo que a Bia levou) hahah
    Me identifiquei muito com esse post pois, sempre gostei de criança e tive contato, mais não sabia se ia dar conta.
    Vim para uma família com dois kidos um de 4 e outro de 5, o de 5 é autista (não tenho experiencia com criança com autismo), mais 10 meses on line vim que vim. Amo meus meninos, o com autismo estou conquistando ele aos poucos, mais abracei a causa e estou disposta a fazer parte do desenvolvimento dele.
    Au pair é gostar de criança e ter muiiiiitaaa paciência, pois se não, é impossível concluir um ano com sucesso (gostando já é mega difícil, né?!)
    Beijos…

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Oi Cristinaaaaaaaaaaa! hahahaha
      Que engraçado ler que sou celebridade no mundo das Au Pairs hahahahahahaha um monte de gente me fala isso, mas acho meio bizarro, não tenho nada mais do que um blog contando da minha vida! Será que é tipo um reality show? rs
      Obrigada por contar sua história e que você continue feliz com suas kids! Admiro mto as meninas que cuidam de crianças autistas, não é fácil, mas com ctz deve ser muito gratificante!
      Seu ano será um sucesso!!
      beijo grande!!

  7. Jeh   •  

    Oi Bia! Sumi tanto tempo de blogs que nem vi que vc voltou em maio… eu sumi desde dezembro do meu.

    Bem, depois das historias de Meetic, Badoo, okcupid e o POF que conheci pelo seu post e que eu tava começando a sair com o meu loiro do zoio azur… vc tem que saber que daqui 2 semanas meu contrato de au pair acaba e to de mudança pra casa dele, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Juro…. juro mesmo que é verdade, Vc pode preparando sua malinha que quando vc se mudar pra Alemanha vc vai ter que vir ate aqui visitar a gente na França. Fada madrinha da modernidade é assim, posta no blog e espalha a novidade pras outras au pairs achar namorado futuro marido. hahahaha.

    beijos e aguardo novidades da California (so vi vc pedindo dicas hj… vc ja esta ai e eu tenho uma prima que acabou o ano de au pair dela e agora eh casada com um brasileiro e eles moram na Califa!)

    bjs madrinha! hahaha

    • Beatriz Morgado   •     Author

      jéééé eu não tinha visto esse seu comentário! Por isso que você não tav achando! Tava no meio dos spams, credo!
      Perdi esse bafo!!! Agora já tô sabendo que você já tá morando com ele, então já me adiantei!
      Beijosssssssss!

  8. Isabella   •  

    Oi Biaaaa, tudo bem?
    Achei seu blog enquanto pesquisava mais sobre au pair.
    Ainda sou novinha (17!), mas penso em fazer algum intercambio quando acabar a facul, e acho que au pair tem o melhor custo-beneficio né?! rs
    Enfim, ainda tenho uns 4 anos pra pensar!

    Mas to revirando seu blog aqui desde os primeiros posts hahaha E achei massa saber que você é de Campinas (sou campineira mas moro em Hortolândia).
    Onde tu fez trabalho voluntário pra conseguir as horas?

    Ahh e uma curiosidade, você é formada em que?

    Bjo

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Oi, isabella!
      Já vi que voce achou o post sobre a experiência com kids, né?
      Eu me formo esse ano em publicidade e propaganda :)

      beijos!

  9. Mayara   •  

    Oii Bia, adoro seu blog e reencontrei ele depois de muito tempo sem vir aqui. Eu acho que vc tem toda razão, em relação a crianças. Realmente tem que gostar mesmo, afinal, é um ANO, um ano que você terá que cuidar de crianças estranhas que no começo não tem nenhuma afinidade com você…pra quem gosta é bom, agora pra quem nao gosta demora uma eternidade pra passar o tempo. Enfim, adoro suas aventuras e dicas, e continue escrevendo e e nos dando dicas. Muito obrigada viu!!! Beijos lindona!

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Oi, Mayara!! Obrigada por comentar e expor sua opinião! :)
      Pode deixar que vou continuar com o blog. Já voltei de viagem e tenho muitas novidades!!

      Beijos!!

  10. débora   •  

    eu nunca tive que lidar com crianças (ok, só quando eu era uma).
    não tenho crianças na família, tenho pavor de bebês e etc… mas durante meus estágios tive 2 experiencias com crianças: uma num equipamento da prefeitura da saúde mental infantil (apesar do trabalho ser com os adultos a gente que orientava os pais sobre como lidar com as crianças) e outra num projeto intergeracional (eu fazia estagio em um asilo e a gente fez oficinas com crianças de um orfanato/abrigo)… nessa ultima experiencia fizemos alguns encontros que eu coordenei e surpreendentemente as crianças gostaram de mim! AHAUAHAU
    acho que é tudo questão de faixa etária, tem que ser maiorzinho comigo, sabe? ter pelo menos uns 6/7 anos, saber falar, ir no banheiro e comer sozinho! ahauahauah as brincadeiras eu tenho paciência até (adorava brincar de imaginar quando era criança)

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Hahahahahahaha adorei sua história e suas experiências! Muito legal!!!
      Eu prefiro bebês, não tem jeito!

  11. Mariana   •  

    Nossa, fazia muito tempo que não passava por aqui. Também acompanho o blog desde o começo porque você é uma das RARÍSSIMAS blogueiras simpáticas, humildes e pretativas. Lembro que comecei acompanhar anos atrás, perguntei alguma coisa que considero bem besta hoje em dia (sobre dirigir nos eua, eu cagava de medo, não tinha nem chn no Brasil ainda kkk) e você foi MUITO simpática e prestativa em sua resposta. No fim, nesse tempo todo (uns 2 ou mais anos) tirei a cnh, perdi medo de dirigir e dirijo todo dia, desisti do au pair, voltei a pensar de novo e agora estou online falando com as famílias. Enfim, legal voltar aqui e ver todas as voltas que a sua vida também deu depois do programa (o noivado, o estágio na bosch, etc…), mesmo sem conhecer você pessoalmente fico bem feliz por você hahahahahhh. Comigo essa questão de gostar de crianças aconteceu algo interessante, todo esse processo de “passar tempo com crianças” para buscar experiência (fora as crianças da família, porque na verdade tenho 6 sobrinhos, então cresci rodeada de crianças) me ajudou a descobrir que na verdade eu tenho jeito e confesso que gosto bastante da pirralhada, tanto que acabei escolhendo seguir carreira como professora. Escrevi muito, enfim, um abraço e por favor, continue com o blog sempre. Gosto muito de ler suas histórias.

    • Beatriz Morgado   •     Author

      Aaaaiiii quantos elogios! Fiquei até sem graca! Hahaha Que fofaaaaaaaaa voce Mari, obrigada!
      Fico feliz que eu tenha te ajudado de alguma forma e que voce tenha perdido o medo de dirigir!
      E aí, como tá seu processo com as famílias? Vai me contando hein!
      Beijo e muita sorte!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *