Vou sentir falta de…

featured2

Faltam apenas vinte e quatro dias para o meu embarque. Também faltam 24 dias para o chororô no aeroporto, para eu começar a mudar de vida temporariamente, aprender e conhecer um monte de coisas novas, fazer novos amigos, melhorar meu inglês e comprar um monte de tranqueira nerd! :P

Resolvi fazer um post bem clichê com tudo o que eu acho que vou sentir falta aqui no Brasil e o que tenho certeza (ou não) que não sentirei tanta falta assim. Ah, já vou adiantando que É LÓGICO que vou sentir falta da minha família, dos meus amigos e do meu namorado. Isso eu nem preciso falar, né? Mas cada um deles tem suas peculiaridades (adoro essa palavra) e sentirei falta de cada pedacinho dessas pessoas. Ai, ai… Vâmo lá! Nesse post vou falar só sobre o que sentirei falta (pra não ficar muito grande), aí depois coloco o que não vejo a hora de me livrar, HEHEHE!

Continue reading…

Por que ser uma Au Pair?

Olá!

Desde que decidi ser Au Pair, vivia dizendo que criaria um blog para registrar e compartilhar todas as experiências dessa aventura totalmente diferente da minha vida. Agora que a minha viagem está cada vez mais perto, application entregue, accept recebido e famílias começando a aparecer, já vi que estava mais do que na hora de criar o blog!

Depois de pesquisar inúmeros (e carésimos) cursos de inglês no exterior, acabei encontrando o programa Au Pair, li MUITO sobre ele e achei perfeito pra mim. Fui em 3 das melhores agências de Campinas: CI, Experimento e STB. Me informei o máximo que pude sobre o programa nas 3 e, no final, acabei escolhendo a STB. Foi o melhor custo-benefício que encontrei e onde me senti mais segura devido às exigências que eles têm. Além disso, tive afinidade imediata com a minha atual orientadora, a Karina Pilz.

Tirei todas as minhas dúvidas em muitas visitas que fiz à STB e nas conversas com a Karina. Em uma delas, meus pais foram junto e tiraram as dúvidas deles também. Eu sabia que o processo seria lento, pois eu ainda estava trabalhando em uma agência de publicidade que me consumia MUITO tempo (e energia), além de trabalhos infinitos na faculdade.

Coloquei uma data limite e tomei uma decisão: saí do meu emprego e comecei um estágio numa escolinha, a Preduc. Minhas horas de experiência com crianças ainda não eram suficientes para trabalhar como babá nos EUA, por isso o estágio era mais do que necessário. Na Preduc eu trabalhei com crianças de várias idades, de 0 a 6 anos, mas passei muito mais tempo no berçário com os bebês. Me apaixonei por tudo aquilo e cada vez tinha mais certeza de que o programa Au Pair seria perfeito pra mim!

Muita gente me achou meio doida por largar um emprego na minha área e trancar a faculdade por um ano para ser BABÁ! Bom, não é uma decisão fácil de se tomar, mas logo pensei que não tinha nada a perder. E não tenho mesmo! Terei uma experiência no exterior, uma chance de sair da “asinha da mamãe” e aprender a me virar sozinha, vou conhecer um novo país, uma nova cultura, novas pessoas… vou voltar falando inglês fluente (o que é mais do que obrigatório no mercado publicitário) e terei uma experiência para a vida toda! Ah, tenho certeza que, por causa disso, serei uma ótima mãe no futuro (ou não! rs).

Enfim, tenho certeza que será uma ótima experiência! Minha irmã fez intercâmbio para a Alemanha em 2008, ela tinha 17 anos e fez High School. Minha mãe fez intercâmbio quando tinha 18 anos para Dallas, no Texas e meu tio para Ohio. Minha família tem a “cultura” intercambista, acho que isso ajuda muito, pois todos me apoiam muito e estão tão empolgados quanto eu para essa viagem!

Nos próximos posts contarei mais coisas sobre o processo de ser uma Au Pair e espero, em breve, estar escrevendo aqui no blog de um computador em algum lugar dos Estados Unidos com uma família bem legal :)

Beijos e boa sorte para todas as futuras Au Pairs que devem ter caído nesse blog de tanto que estão pesquisando por aí…